Planejamento escolar para 2021: como elaborar um planejamento estratégico?

Para ter uma gestão de escolas com eficiência e os melhores resultados em 2021, você precisa de um planejamento escolar estratégico. Saiba como fazer:

Por Suellen Bosse em 11 de janeiro de 2021.

O início do ano letivo é, tradicionalmente, o momento de preparar um planejamento escolar estratégico para guiar a gestão pedagógica. É a hora em que os gestores de escolas reúnem suas equipes e avaliam desafios, possibilidades e os caminhos que vão tomar durante os próximos meses.

Esse momento costuma ser uma grande responsabilidade para a gestão escolar. Afinal, é o planejamento escolar que vai definir o acompanhamento pedagógico do ano letivo.

É durante o planejamento que a equipe pode repensar a organização e os objetivos da escola, dar um rumo para a gestão pedagógica e prepará-la para os desafios que podem chegar. 

E a responsabilidade de buscar esse rumo é ainda maior em 2021. Depois das dificuldades de um ano de pandemia e diante das incertezas deste ano que está começando, estamos em um contexto instável, repleto de dúvidas e novos desafios.

Em um contexto desses, o planejamento é indispensável para reduzir erros, superar as dificuldades que podem surgir e preparar a escola para as transformações que virão em 2021. 

Além disso, ele também é uma forma de garantir que toda a comunidade escolar esteja alinhada, buscando os mesmos objetivos e assumindo suas responsabilidades.

Continue sua leitura e veja:

Uma retrospectiva de 2020 e o futuro da educação em 2021
Deliberações oficiais sobre a volta às aulas em 2021
O que precisa constar no planejamento escolar
Como preparar o planejamento pedagógico para o pós-pandemia

Uma retrospectiva de 2020 e o futuro da educação em 2021

Para pensar em um planejamento para 2021, primeiro é preciso entender bem o contexto em que nos encontramos e que tipos de desafios essa realidade vai criar para a gestão pedagógica.

O ano de 2020 foi absolutamente irregular para a gestão de escolas. Todo o planejamento anterior e as expectativas para o ano foram abaladas e desfeitas com a chegada da pandemia.

O fechamento das escolas forçou toda a comunidade escolar a se adaptar a uma nova forma de ensino, com aulas online por videochamada. Poucas escolas estavam preparadas para essa transformação tão repentina, por isso o ano foi extremamente desgastante para a gestão escolar, para os pais e para os professores.

Além disso, houve também um considerável impacto econômico na educação privada. Afinal, muitos alunos desistiram das aulas e as escolas particulares dependem das mensalidades para se manterem.

No entanto, no fim de 2020 começaram a surgir possibilidades de um retorno às aulas presenciais, de forma parcial, pelo menos. Contudo, com o desenvolvimento da vacina, há a possibilidade de as escolas reabrirem suas portas em uma volta integral ao formato tradicional de aulas.

É nesse contexto de insegurança que vamos iniciar 2021. 

Não há certeza sobre o retorno ou não das aulas presenciais, ninguém sabe com certeza até quando vai durar a pandemia, há dificuldades para conquistar novas matrículas e, principalmente, há um desgaste muito grande.

A exaustão da gestão escolar com os desafios da pandemia é considerável. Os alunos estão extremamente cansados do período de aulas a distância. E os professores estão profundamente desgastados por essa adaptação a um novo ritmo de trabalho, novas metodologias e a necessidade de lecionar em casa.

Por outro lado, além das muitas dificuldades, essa transformação também trouxe oportunidades. Depois de uma adaptação “à força”, agora alunos e professores possuem experiências com as aulas online, e isso permite uma mudança no paradigma do ensino.

2021 se apresenta como a melhor oportunidade para começar a implantar o ensino híbrido nas escolas. A combinação das vantagens do ensino presencial com os benefícios das aulas online gera uma forma de educação muito mais completa e atraente para as novas gerações. Essa consideração também deve fazer parte do seu planejamento escolar.

Além disso, é preciso levar em conta as diretrizes e orientações de órgãos oficiais para a gestão escolar, para que sua escola esteja adequada:

Deliberações oficiais sobre a volta às aulas em 2021

Com as incertezas que cercam a pandemia, ainda não podemos prever como será o ano letivo de 2021. Contudo, é preciso considerar o que dizem a lei e as orientações de órgãos públicos.

A Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB) define que o calendário escolar deve se adequar às peculiaridades locais. Isso significa que sua escola pode buscar mudanças por causa da situação da pandemia. 

Contudo, a LDB também considera que essas mudanças não podem reduzir o número de aulas previstas em Lei e a quantidade de horas letivas.

Nesse sentido, o Conselho Nacional de Educação (CNE) já está prevendo que as aulas remotas devem ser mantidas em 2021. No entanto, o CNE também considera a possibilidade de um retorno gradual às atividades presenciais, mas ele deve estar vinculado às medidas estabelecidas pelas autoridades locais, considerando a situação da pandemia em sua cidade.

O CNE ainda recomenda a adaptação das escolas à BNCC, principalmente com atenção ao acolhimento socioemocional dos alunos que estão abalados pelos meses de pandemia.

Além disso, o conselho pede que as escolas deem atenção especial à recuperação da aprendizagem dos alunos, e também dos processos avaliativos que eles precisam executar.

Para isso, considera-se também a antecipação do início do ano letivo de 2021 para recuperar os objetivos de aprendizagem que não foram cumpridos no ano anterior. Também é válido realizar avaliações para identificar o quanto o aluno conseguiu aprender durante o ensino remoto.

O CNE também pede para as escolas evitarem reprovar os alunos. Mas a avaliação desse mérito cabe à escola em questão, com respeito às diferenças de necessidades envolvidas.

Além disso, o conselho avalia a possibilidade da implantação do ensino unificado para o ano que vem. Saiba mais no artigo: Como será o ensino unificado em 2021?

Tudo isso precisa ser levado em conta na hora do seu planejamento. Com isso em mente, vamos analisar a estrutura de um planejamento escolar estratégico:

O que precisa constar no planejamento escolar 

Saiba como trabalhar seu engajamento com comunidade escolar | Sponte

Há 5 elementos essenciais que precisam fazer parte do seu planejamento escolar. Cada um deles deve ser pensado com cuidado, envolvendo toda a comunidade e considerando o contexto em que estamos inseridos:

  • Calendário pedagógico

De acordo com a LDB, a escola deve cumprir um calendário de, no mínimo, 800 horas e 200 dias letivos. No entanto, em 2020, o Governo Federal sancionou uma lei que flexibiliza essa exigência, desobrigando as escolas do cumprimento dos 200 dias.

Contudo, as 800 horas continuaram sendo obrigatórias. Por isso, caso sua escola não tenha conseguido concluir esse tempo em 2020, as horas excedentes devem ser lecionadas em 2021, mesmo que o aluno já esteja matriculado no próximo ano.

Isso precisa estar previsto no planejamento de 2021, considerando também as dificuldades da pandemia, que ainda não terminou.

  • Currículo escolar

O planejamento deve considerar também o currículo escolar, que é o grande norteador de todos os processos pedagógicos. Essa definição precisa ser prévia, para facilitar a organização dos conteúdos dos professores e permitir um trabalho alinhado de toda a comunidade escolar.

Para 2021, a deliberação do currículo deve levar em conta os desafios da pandemia, a implementação do ensino unificado e as possibilidades do ensino híbrido.

  • Quadro de horários

A partir do currículo escolar, sua escola deve determinar também o quadro de horários de cada turma. Isso também permite a organização da rotina dos professores e até das salas de aula, para ter uma gestão mais eficiente quando o ensino presencial voltar.

  • Metodologias de ensino e de avaliação

A pandemia e as aulas online foram uma séria lição tanto para professores quanto para alunos. No entanto, mesmo antes do coronavírus, já podíamos notar que as metodologias tradicionais de ensino, com um professor como detentor do conhecimento, não são mais as adequadas às novas gerações.

Hoje é preciso repensar tanto as metodologias de ensino quanto as formas de avaliação. Para isso, confira em nosso blog:

Metodologias ativas no EAD: como aplicar?

Qual o objetivo da avaliação escolar?

  • Projetos e programas a serem executados

Por fim, seu planejamento também precisa levar em conta quais programas ou projetos sua escola vai ofertar para os alunos. No entanto, essa previsão deve ser flexível, já que ainda não sabemos exatamente como serão as aulas.

Como preparar o planejamento pedagógico para o pós-pandemia

Entenda mais como será a escola do futuro | Sponte

Para que seu planejamento tenha todos esses elementos e seja composto de forma completa e eficiente, é interessante seguir alguns passos:

  1. Reunir a equipe de gestão pedagógica e, em determinados momentos, a comunidade escolar, para que o processo de definição do planejamento seja coletivo;
  2. Analisar os resultados de 2020, trocando experiências, avaliando quais foram as principais dificuldades e estudando formas de superá-las;
  3. Revisar o Projeto Político Pedagógico (PPP) da sua escola;
  4. Delimitar metas para o trabalho da sua escola, para que toda a equipe tenha foco no crescimento durante o ano;
  5. Realizar o planejamento curricular geral da escola, com a deliberação dos conteúdos a serem lecionados, de acordo com a BNCC;
  6. Orientações para a construção de planos de aula dos professores;
  7. Planejamento de programas de formação continuada para os professores, considerando que possa ser necessário fazê-los a distância;
  8. Definição do calendário escolar, incluindo aulas, avaliações, reuniões e projetos;
  9. Distribuição das turmas e materiais, e organização de salas de acordo com a possibilidade de aulas presenciais;
  10. Avaliar se há outras pautas que sejam importantes para a sua gestão escolar.
  • Passo extra: Manter uma revisão constante do planejamento para sua escola se adaptar às transformações e desafios de 2021.

Além disso, também é importante contar com a tecnologia, para que sua escola consiga se manter fiel ao planejamento escolar e mantenha o financeiro sempre positivo.

Para isso, busque um sistema de gestão escolar como o Sponte, que oferece recursos para reduzir até 166 horas mensais de trabalho do seu time administrativo.

Com isso sobra tempo para focar em uma gestão escolar eficiente e focada em seguir o planejamento escolar para ter os melhores resultados.

Confira mais vantagens de um sistema de gestão no nosso eBook:

Negociação de rematrículas idiomas e cursos livres | Sponte

Suellen Bosse / Gerente de Marketing

Atualmente é Gerente de Marketing, com mais de 15 anos de experiência na área de comunicação e relacionamento, faz parte do time da Sponte há mais de 18 anos.