Entenda o BNCC – Base Nacional Comum Curricular

Por Marketing em 05 de fevereiro de 2020.

A BNCC (Base Nacional Comum Curricular), é um instrumento básico no qual constam referências dos conhecimentos indispensáveis a todos os alunos da educação básica.

Ele existe para consulta dos educadores a fim de auxiliar no desenvolvimento do currículo de matérias

Estão sob os critérios da BNCC escolas públicas e particulares. Isso porque um de seus propósitos é promover  o alcance ao aprendizado básico uniforme em todas as classes sociais e contextos socioeconômicos e regionais em que o estudante possa estar inserido.

Em linhas gerais, a BNCC pretende estabelecer os objetivos da aprendizagem –  destacando quais conhecimentos o aluno deve alcançar – por meio de habilidades e competências fundamentais. 

O currículo irá determinar como esses objetivos serão alcançados, definindo quais estratégias os educadores devem aplicar em sala de aula.

Para garantir uma gestão escolar eficiente, é preciso entender o que é a BNCC, principalmente porque em 2020 ela deverá ser colocada em prática. 

Um breve histórico

Uma base comum curricular a todas as escolas foi prevista desde a produção do texto da Constituição de 1988. 

Em um artigo da constituição, o texto antecipava a elaboração de um guia com conteúdos obrigatórios e fixos que deveriam ser trabalhados no ensino fundamental.

No entanto, somente em 1996 foi criada a Lei de Diretrizes e Bases, com a elaboração de parâmetros curriculares nacionais válidos para todos os estados brasileiros.

Já em 2014, foi estabelecido o Plano Nacional de Educação, com o objetivo de implantar tais diretrizes para a educação básica.

A BNCC surgiu em 2015, com o início da análise de especialistas, e da consulta pública, apresentando a primeira versão do documento.

Já em 2016, ocorreu o fim da consulta pública, e surgiu a segunda versão do documento.

O “Dia D – Discussões das escolas do BNCC – Ensino Fundamental e Infantil” surgiu em 2017, seguida da segunda versão da BNCC junto da Homologação do documento pelo MEC. 

Em 2018 ocorreu a reelaboração dos currículos municipais e estaduais do documento, junto da homologação dos mesmos. 

A implantação da Base Nacional Comum Curricular nas escolas já começou e ela deve ser colocada em prática nas instituições públicas e privadas até dezembro de 2020, promovendo a revisão dos Projetos Políticos Pedagógicos (PPP) das escolas a partir dos currículos homologados. 

A Base Nacional Comum Curricular é dividida da seguinte forma: 

  • Textos introdutórios (geral, por etapa e por área);
  • Competências gerais que os alunos devem desenvolver ao longo de todas as etapas da Educação Básica;
  • Competências específicas de cada área do conhecimento e dos componentes curriculares;
  • Direitos de Aprendizagem ou Habilidades relativas a diversos objetos de conhecimento (conteúdos, conceitos e processos) que os alunos devem desenvolver em cada etapa da Educação Básica — da Educação Infantil ao Ensino Médio.

Quais mudanças práticas vão acontecer com a implantação da BNCC?

As alterações e enquadramentos nos currículos das escolas, deverão estar de acordo com as novas exigências da BNCC. As principais delas são:

  • Alfabetização: deve ocorrer no 2º ano do Fundamental.
  • Inglês: disciplina obrigatória a partir do 6º ano.
  • Ensino religioso: deixa de fazer parte da lista de áreas da BNCC.
  • História: conteúdo apresentado de acordo com a cronologia dos acontecimentos.
  • Matemática: noções de estatística e probabilidade devem ser apresentados partir do 1º ano do Ensino Fundamental.
  • Tecnologias e inclusão digital: deverão ser trabalhadas em sala de aula.
  • Respeito à diversidade e combate a todos os tipos de preconceito: serão tratados com os alunos em sala de aula.

Como construir um currículo nas diretrizes do BNCC?

O documento curricular de um estado ou município, deve seguir uma estrutura mínima que envolve as seguintes etapas:

  1. Introdução
  2. Campos de experiência (Ex: Educação Infantil)
  3. Áreas de conhecimento (Ensino Fundamental e Ensino médio)
  4. Referências Bibliográficas. 

Na introdução deverá acontecer a apresentação dos princípios que guiarão o desenvolvimento do currículo e seu propósito.

Na etapa dos campos de experiência, deverá constar quais recursos materiais e equipamentos serão utilizados.

Além de explanar sobre a organização do tempo da aula e dos espaços de ensino e aprendizagem da escola. 

Na terceira etapa do documento, intitulado áreas do conhecimento, deverão ser apresentados os pressupostos teórico-metodológicos utilizados pelo professor. 

Também é nesta etapa que deve constar a organização curricular dos componentes de cada etapa do ensino, objetos de conhecimento e habilidades da concepção da avaliação, junto de seus objetivos de aprendizagem.

Finalizando com as referências bibliográficas, para apresentar as referências que constroem o currículo, incluindo livros, artigos, documentos, filmes e muito mais. 

Quais as competências da BNCC?

Dentre as especificações da BNCC, o documento estabelece 10 competências gerais que devem ser trabalhadas e desenvolvidas ao longo da educação básica. As competências são as seguintes:

  • Conhecimento
  • Pensamento científico, crítico e criativo
  • Repertório cultural
  • Comunicação
  • Cultura digital
  • Trabalho e projeto de vida
  • Argumentação
  • Autoconhecimento e autocuidado
  • Empatia e cooperação
  • Responsabilidade e cidadania

Quais são os desafios da BNCC nas escolas?

A implantação do BNCC nas escolas acontece com uma série de desafios, tais como:

  • A elaboração de um novo currículo;
  • Adequação do Projeto Político Pedagógico (PPP) nas diretrizes da BNCC;
  • Integração de características regionais no currículo das escolas;
  • Formação continuada dos estudantes durante toda a vida escolar;
  • Definição do material didático para ser aplicado nas aulas.

Grande parte das mudanças em relação a BNCC, fica em cargo dos professores. Contudo a escola deve auxiliar durante todo o processo, a fim de garantir que a implantação das diretrizes seja colocada em prática em tempo hábil e de forma eficiente. 

Assim como toda a gestão escolar deve procurar se adequar às diretrizes na BNCC, ela procura por soluções que tornem seu dia a dia mais fácil. 

Sistemas inteligentes de gestão escolar, como o sistema Sponte, podem tornar as tarefas de gestão muito mais fáceis, e rápidas.

Conheças as funcionalidades e tenha este forte aliado em sua gestão escolar!

Marketing / Analista de Marketing

Atualmente é Analista de Marketing, com mais de 04 anos de experiência na área da comunicação, faz parte do time da Sponte há 1 ano.