A alfabetização após a implementação da BNCC. Entenda as novas orientações do processo de letramento.

Confira quais mudanças na alfabetização ocorreram após a implementação da BNCC no ensino. Entenda quais as novas orientações foram implementadas

Por Sponte em 26 de março de 2018.

A BNCC (Base Nacional Comum Curricular), inédita no Brasil, tem por objetivo unificar o ensino brasileiro. Com ela, escolas públicas e particulares devem seguir uma base comum para seu currículo escolar com o intuito de diminuir a diferença existente entre as duas redes de ensino.

Uma das grandes mudanças trazidas pela BNCC, em relação ao ensino infantil, foi o adiantamento do processo de alfabetização – que antes deveria ocorrer até o terceiro ano do ensino fundamental e agora deve ocorrer até o fim do segundo.

Embasada numa visão de continuidade do aprendizado, a BNCC busca trazer uma ligação direta entre o ensino infantil e o fundamental – preenchendo uma lacuna que havia entre os dois ciclos. Nesse sentido, o processo de alfabetização deve ocorrer até o fim do segundo ano do ensino fundamental visando a continuidade nas experiências com a linguagem oral e escrita. Com essa nova regra colocada pela BNCC, a alfabetização passa a ser o foco integral dos professores de língua portuguesa nos dois primeiros anos do ensino fundamental.

O documento da BNCC orienta que os alunos sejam inseridos em práticas modernas de expressão, com o intuito de mostrar que não há apenas uma forma de escrita ou oralidade. Nessas práticas modernas de expressão inclui-se adaptar a metodologia de ensino utilizando-se também do letramento digital, abrindo um leque de possibilidades de produção de linguagem para os estudantes.

Os alunos na fase de alfabetização nasceram na era digital e, por isso, os equipamentos tecnológicos já foram incorporados no seu dia a dia de forma natural. Dessa forma, utilizar a tecnologia como aliada no processo de aprendizagem desses estudantes é uma forma facilitada de ajuda-los no seu processo de aquisição das habilidades de leitura e escrita. O planejamento pedagógico para a alfabetização, portanto, deve mergulhar neste universo tecnológico, buscando maneiras e incentivos para que as crianças leiam, escrevam, explorem novas linguagens e se expressem.

Embora a mudança trazida pela BNCC sobre o processo de letramento tenha causado uma certa preocupação aos pedagogos e gestores, a escola, e seu corpo docente, pode aproveitar essa mudança para repensar o planejamento pedagógico, buscando explorar novos campos e visões sobre a alfabetização.

Com a implementação da Base Nacional Comum Curricular a alfabetização torna-se um campo de novos testes em sala de aula, sendo uma oportunidade para buscar novas experiências em classe, explorar novas iniciativas e trazer para os estudantes práticas que acrescentem positivamente na sua comunicação e processo de aprendizagem.

A adequação das escolas às exigências da BNCC deve ocorrer por completo até o início do ano letivo de 2020. Até lá, as instituições devem testar e inserir novas técnicas pedagógicas, além de adequar seus materiais didáticos de acordo com as novas diretrizes.

Conte para a gente sua experiência! Como sua escola está trabalhando com as novas orientações da BNCC? Sua equipe pedagógica está trabalhando em um novo planejamento? Sua escola já se adequou às exigências? Deixe seu comentário!

A Sponte está antenada em tudo o que acontece no mercado educacional para que sua escola esteja em constante crescimento. Conte sempre com a gente!

Sponte /