Por Cristopher Morais, 28 de dezembro de 2020

10 estratégias de aprendizagem ativa para usar em aulas presenciais e remotas

Confira 10 estratégias de aprendizagem ativa que vão colocar seu aluno no centro da própria educação, seja no ensino presencial ou remoto.

Estratégias de aprendizagem para aula remota

A adaptação das escolas para um novo sistema de ensino já começou. Afinal, tornou-se preciso rever o modelo tradicional de ensino, em que o professor é o sujeito ativo, detentor do conhecimento, e os alunos sujeitos passivos, que estão ali meramente para receber o conteúdo.

Esse modelo tradicional é criticado principalmente por não oferecer os melhores resultados na aprendizagem. Afinal, ele gera desinteresse dos estudantes pelas aulas, levando à queda de seu desempenho e à construção de uma imagem negativa da escola como um lugar chato, enfadonho e tedioso.

O baixo desempenho acadêmico se desdobra em outro problema: a insatisfação dos pais e responsáveis, que pode acabar fazendo com que sua escola enfrente uma alta evasão de alunos.

A fim de combater essa cadeia de problemas, educadores do mundo todo estudam as possibilidades da aplicação de metodologias de aprendizagem ativa. Tais técnicas buscam tornar o processo de aprendizado dos alunos mais interessante e mais conectado com suas necessidades e habilidades.

Sendo assim, a aprendizagem ativa já vinha aparecendo em diversas escolas pelo país. Contudo, em 2020, com a pandemia de COVID-19, a dinâmica das aulas mudou completamente.  

Com as escolas fechadas e as aulas acontecendo no ambiente virtual, muitas dúvidas surgiram sobre como utilizar técnicas de aprendizagem ativa no ensino a distância.

Por isso, neste post vamos falar sobre a aprendizagem ativa e trazer estratégias para aplicar esse método na sua escola, seja no ensino presencial ou remoto. Ou no método de aprendizado que une o melhor dos dois mundos: o ensino híbrido.

Continue sua leitura e descubra:

  • O que é aprendizagem ativa?
  • A flexibilidade da aprendizagem ativa: possibilidades para o ensino presencial e para o ensino remoto;
  • Como usar a aprendizagem ativa nos ensinos remoto e presencial? Conheça as estratégias!

O que é aprendizagem ativa?

A aprendizagem ativa é uma metodologia de ensino que estimula a autonomia do aluno em sua própria educação. Em outras palavras, ele se torna protagonista no processo pedagógico. O professor, por sua vez, assume o papel de orientador, ao invés de detentor absoluto do conhecimento.

Esse método chama a atenção por estar totalmente alinhado com a realidade dos jovens de hoje em dia. Com acesso ilimitado à internet, basta um celular em mãos para que eles busquem o que quiserem, quando quiserem.

Portanto, para um jovem que cresceu com essa mentalidade, um sistema de ensino que o coloque sentado em uma cadeira a escutar o professor por horas não é nem um pouco atrativo.

Já a aprendizagem ativa tem como objetivo replicar a dinâmica da era da informação. Como os alunos têm um imenso acesso aos mais diversos conteúdos na internet, o professor atua para estimulá-los a buscarem o aprendizado por si próprios, orientando-os nesse processo.

Seu papel, então, é de direcionar os alunos no processo de pesquisa, para se certificar que eles estejam obtendo fontes válidas e corretas de conhecimento. Além disso, o professor deve propor atividades dinâmicas para compartilhamento dos conteúdos adquiridos. 

Assim, a turma pode fixá-los melhor e terá uma construção coletiva do conhecimento, em que cada aluno contribui com uma fração para um aprendizado mais completo, democrático e interessante para todos.

A flexibilidade da aprendizagem ativa: possibilidades para o ensino presencial e para o ensino remoto

Além de ser uma opção mais adequada para os alunos de hoje em dia, a aprendizagem ativa tem uma outra grande vantagem: ela é extremamente flexível e pode se adaptar a diversos cenários e recursos disponíveis para o professor. 

Por isso, ela é excelente não apenas para o ensino presencial, mas também para as aulas online e o modelo de ensino híbrido. Além disso, pode contar com a tecnologia como ferramenta de pesquisa e construção do conhecimento.

Independente de como ela seja trabalhada na escola, é certo que a aprendizagem ativa desperta e fortalece nos alunos uma série de valores e habilidades que vão além das fronteiras disciplinares e serão levados para a vida inteira. Estamos falando de autonomia, proatividade, senso crítico, criatividade e autoconfiança.

Todas essas características são muito valorizadas em escolas que formam seus alunos pensando além de transformá-los em uma futura mão-de-obra qualificada, mas também em cidadãos críticos e conscientes, que utilizarão seu trabalho como ferramenta de progresso, além de crescimento individual.

Mas é preciso saber como trazer essas possibilidades para a realidade desafiadora que a educação está enfrentando hoje. Por isso, no próximo tópico falaremos sobre estratégias e ideias para aplicar a aprendizagem ativa em sala de aula. Confira:

Como usar a aprendizagem ativa nos ensinos remoto e presencial? Conheça as estratégias!

Como dissemos no tópico anterior, a aprendizagem ativa é extremamente flexível, podendo ser adaptada a qualquer modelo de ensino em que a escola tenha optado por trabalhar. 

No entanto, acostumados com o ensino presencial, muitos professores tiveram dúvidas sobre como esse método funcionaria nas aulas remotas. Então veja a seguir algumas estratégias e ideias de atividades para usar a aprendizagem ativa, seja no online ou no offline:

Levantamento de conhecimentos prévios

Essa é uma excelente forma de introduzir um assunto novo em sala de aula sem que o momento seja maçante. A estratégia visa levantar quais os conhecimentos os alunos já possuem sobre o tema em um debate coletivo. 

Ela é uma maneira de revisar e recordar assuntos que talvez já tenham sido passados em aula e também é uma excelente forma de construção coletiva do conhecimento. 

Com essa estratégia, conhecer e revisar um tema será um processo muito mais instigante para os alunos, pois serão participantes ativos do processo.

Prática de recuperação

Manter os conhecimentos na lembrança ativa do aluno é essencial para a fixação dos conteúdos e também para o bom andamento das aulas. 

Por isso, é interessante estabelecer uma periodicidade de atividades que ajudam a relembrar e memorizar o conteúdo, mas de forma agradável para os alunos.

Você pode aplicar quizzes que não valem nota, por exemplo. Ou jogos e brincadeiras que retomem os conteúdos de uma forma divertida.

Promover debates

Promover debates em aulas online

Essa é uma prática muito conhecida e utilizada em aulas presenciais, mas que com certeza também pode ser muito bem aproveitada no ensino remoto. Ainda mais para que os alunos participem mais ativamente das aulas online

Afinal, convidá-los a expressar sua opinião sobre determinados assuntos relativos à matéria, trazendo dados e informações baseadas em sua pesquisa, é uma ótima forma de torná-los mais ativos durante as aulas à distância. 

Além disso, é uma maneira de reforçar o protagonismo deles na construção do conhecimento coletivo da turma, e de desenvolver suas habilidades argumentativas.

SQA

Essa é mais uma forma dos professores compreenderem em que estágio está o conhecimento dos alunos sobre determinado tema, além possibilitar que o aluno mostre seus interesses nos temas.

Cada letra da sigla SQA representa uma coluna em uma tabela elaborada pelo professor e entregue aos alunos, apresentando no tema da aula. 

O aluno preencherá a coluna do S (que significa “Sei”) com o que já sabe sobre o assunto. A coluna Q (sigla de “Quero saber”) será preenchida com o que os alunos mais têm interesse sobre o tema. 

Por fim, quando o assunto terminar de ser abordado em sala, os alunos retomarão a tabela e preencherão a coluna A (que significa “Aprendi”), contando quais informações novas foram aprendidas por eles.

Problem Based Learning (PBL)

Uma prática muito forte dentro da aprendizagem ativa é o Problem Based Learning, que em tradução livre significa Aprendizado Baseado em um Problema. 

Nesse método, o professor propõe um problema a ser resolvido pelos alunos. Para encontrar a solução, eles deverão realizar uma pesquisa acerca do assunto, descobrir o que é relevante naquele caso e, enfim, propor uma solução.

O professor, por sua vez, orientará os alunos durante a pesquisa e avaliará o caminho traçado por eles até a elaboração das suas propostas finais de solução.

Com o PBL é possível, portanto, dar autonomia para o aluno na busca de conhecimento, bem como permitir que ele aplique seu conhecimento em um problema prático, desenvolvendo suas habilidades ao longo do caminho.

Registrar as informações de um modo diferente

Muitos professores procuram sempre maneiras diversas de apresentar o conteúdo para os alunos e ajudar na sua memorização. 

Fórmulas, macetes e músicas são as formas mais usuais. Mas por que não deixar que o próprio aluno crie sua forma de memorização? 

Colocar o aluno no centro desse processo será muito mais efetivo para que ele guarde as informações seguindo sua própria dinâmica de raciocínio.

Memorização prolongada

Essa técnica se baseia na associação de conteúdos a elementos não necessariamente relacionados à aula com o intuito de fortalecer na fixação de conhecimento. 

Os alunos podem trazer exemplos e ideias de fora da sala, relacionados aos seus cotidianos, para então construir uma ponte que associará o conteúdo a algo que ele conhece. 

Pode ser uma imagem, um vídeo, uma música ou mesmo uma série, por exemplo. Na dinâmica de aulas online, com o aluno já conectado à internet, a pesquisa se torna ainda mais rápida. Assim, sempre que eles tiverem contato com o elemento associativo, virá a lembrança do conteúdo da aula.

Práticas de atenção plena

A geração mais jovem está constantemente recebendo estímulos e informações, sobretudo no ambiente online. Por isso, é comum que apresentem dificuldades em prestar atenção em uma única coisa por muito tempo. 

Por isso, estimular o aluno com atividades e exercícios, mesmo que seja um momento de respiração e foco, por exemplo, ajudará a mantê-lo concentrado durante a aula, seja ela presencial ou virtual.

OQFQNSOQF (O Que Fazer Quando Não Sei O Que Fazer?)

Você não leu errado! Essa é a sigla de uma estratégia que vem como auxílio para as atividades do aprendizado ativo, como o PBL. 

Muitas vezes os alunos ficam travados durante o processo de resolução de problemas e não conseguem sair de uma linha de pensamento que não leva a lugar nenhum. 

Nesses momentos é hora de aplicar a técnica que leva o nome dessa sigla imensa, mas que em sua essência é muito simples. As letras significam “O Que Fazer Quando Não Sei O Que Fazer?”. É um convite para que o aluno retroceda no seu pensamento e procure novas alternativas de raciocínio e resolução para sanar o problema proposto.

Bilhete de saída

Essa é mais uma atividade muito interessante de se propor tanto nas aulas presenciais quanto nas remotas. O bilhete de saída nada mais é do que uma espécie de avaliação resumida do aluno sobre a aula. 

Nesse “bilhete”, os alunos podem comentar sobre o que acharam da dinâmica do dia, sobre como o assunto foi abordado, quais momentos foram de fácil entendimento e quais não foram tão fáceis, e, por fim, fazer uma pequena autoavaliação sobre o que foi de fato absorvido da aula. 

Nas aulas online, o bilhete de saída pode ganhar um item de interação a mais em sua composição, como emojis, o que estimulará os alunos mais jovens a participarem da atividade.

A sua escola já implementa a metodologia de aprendizado ativo com os alunos? Como foi o processo de adaptação dessas práticas para o presencial e para o remoto? Compartilhe suas experiências nos comentários!

Todas essas possibilidades potencializam muito o aprendizado em uma metodologia de ensino remoto, que se mostra como um dos principais métodos para o futuro da educação. 

Quer saber mais sobre o assunto, para aproveitar ao máximo o ensino híbrido em sua escola? Então confira nosso eBook:

Baixar eBook: Ensino Híbrido - Guia completo para sua gestão escolar

compartilhe:

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on google
Gerente de Produto

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *