Por Cristopher Morais, 08 de junho de 2021

Quais são as mudanças do novo Ensino Médio?

Conheça todas as mudanças, os prazos e as formas para sua escola se adaptar às mudanças do novo Ensino Médio.

Entenda o que muda com o novo Ensino Médio

O novo Ensino Médio pode ser definido como uma reorganização dos anos finais da educação básica. Essa foi a maior alteração que a educação básica sofreu desde 1996, quando a Lei de Diretrizes e Bases da Educação foi aprovada pelos parlamentares nacionais.

Esse processo começou em 2016, com uma proposta levada ao Congresso Nacional para ser analisada e, posteriormente, oficializada como lei. Assim, a Medida Provisória n.º 746/2016 foi apresentada em setembro daquele ano.

Pouco tempo depois, a Lei n.º 13.415/2017 entrou em vigor e, a partir daí, o Ensino Médio começou a ser alterado no Brasil. Tendo isso em mente, preparamos este artigo para explicar essas mudanças e como sua escola deve se adaptar a elas.

Além disso, falaremos também sobre prazos: até quando as mudanças do novo ensino médio devem estar presentes nas escolas nacionais.

Novo Ensino Médio: o que é?
Qual é o prazo para se adaptar ao novo Ensino Médio?
Quais são as mudanças do novo Ensino Médio?
Por que mudar a divisão de horários no Ensino Médio?
Como sua escola particular pode se adaptar às mudanças?
Novo Ensino Médio e o Enem
Quais são os benefícios da implementação do novo Ensino Médio?

Novo Ensino Médio: o que é?

Novo Ensino Médio: o que é?

A Reforma do Ensino Médio propõe que a matriz de referência curricular para alunos matriculados no 1º, 2º e 3º anos do Ensino Médio seja alterada para que as disciplinas abordadas em sala de aula sejam integradas em quatro grandes áreas do conhecimento, sendo elas:

  • Linguagens e suas Tecnologias 
  • Matemática e suas Tecnologias 
  • Ciências da Natureza e suas Tecnologias
  • Ciências Humanas e Sociais Aplicadas

Há, ainda, uma quinta modalidade, chamada de Formação Técnica e Profissional (FTP), que é mais direcionada para o mundo profissional.

Outra importante possibilidade que a Reforma apresenta para os alunos é a escolha de itinerários educativos. Ou seja, eles passam a ter mais flexibilidade nos currículos nessa etapa final de formação básica. 

Assim, o jovem irá optar pelo itinerário que apresentar os assuntos que mais o interessam. O objetivo é fazer com que ele alinhe as disciplinas com o seu projeto de vida profissional, combinando suas áreas de interesse com os estudos e as perspectivas para o futuro, de forma a conectar a escola com o mercado de trabalho.

Qual é o prazo para se adaptar ao novo Ensino Médio?

As mudanças do novo Ensino Médio começaram a ser implementadas em todo o território nacional em 2018. Mas a ideia é que o período de transição seja gradativo, para que as escolas tenham tempo de se organizar e preparar os professores para o novo desafio. 

Por isso, o prazo estipulado para que as escolas públicas e privadas se adequem ao novo sistema vai até 2022, de acordo com o Governo Federal.

Instituições educacionais do Sistema S, como o Serviço Social da Indústria (SESI) e o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI), foram as primeiras a testar o novo modelo.

Quais são as mudanças do novo Ensino Médio?

É válido pontuar que a principal alteração da grade do novo Ensino Médio diz respeito à carga horária.

Podemos dividir o horário dos alunos nesse novo sistema em dois grupos, segundo as alterações feitas na Base Nacional Comum Curricular (BNCC):

  • 1.800 horas destinadas ao desenvolvimento das quatro grandes competências curriculares (Linguagens, Matemática, Ciências da Natureza e Ciências Humanas).
  • 1.200 horas destinadas aos itinerários formativos, sendo que esse tempo será flexível e de escolha do próprio aluno.

Essas horas serão dispostas em 200 dias letivos e o ensino será integral em nível nacional. Tal alteração entra em concordância com a Política de Fomento à Implementação de Escolas de Ensino Médio em Tempo Integral, iniciativa do Governo Federal. 

Essa medida prevê um repasse bilionário de verbas federais, ao longo de dois anos, para o término da implementação do ensino integral.

Por que mudar a divisão de horários no Ensino Médio?

Além da mudança na carga horária, a grande alteração que existe na legislação do novo Ensino Médio consiste na implementação dos itinerários formativos e das quatro grandes áreas do conhecimento. 

Isso significa uma mudança na divisão do horário dos alunos. Em vez de várias disciplinas isoladas, teremos elas integradas dentro de suas respectivas áreas de conhecimento.

Essa alteração drástica é decorrência da estagnação dos estudantes do Ensino Médio, de acordo com os índices de desempenho dos alunos, sendo a maior referência os resultados desse público no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). 

Entre as principais razões para justificar essa mudança, estão algumas observações sobre os obstáculos encontrados na maioria das escolas brasileiras: 

  • Ensino superficial e conteudista.
  • Abordagem generalista dos assuntos discutidos.
  • Número excessivo de disciplinas.
  • Alto e preocupante índice de evasão escolar.
  • Taxa de reprovação elevada.
  • Conteúdos distantes e desassociados da realidade dos alunos.
  • Ensino digital deficitário.

Todos esses elementos, somados, estavam causando a estagnação dos alunos. O objetivo dessa Reforma, então, além de preparar o estudante para o mercado de trabalho, é aumentar os índices educacionais no Brasil e elevar a qualidade da educação nacional.

Como sua escola particular pode se adaptar às mudanças?

Como sua escola particular pode se adaptar às mudanças?

Essa mudança envolverá todos os níveis de uma escola, desde coordenadores até pais e alunos. Contudo, sem dúvidas, os professores serão aqueles que mais precisarão se adaptar a esse novo modelo.

As mudanças já se iniciam antes de o profissional entrar em sala de aula. Isso porque o professor precisará rever o modo como realiza planejamentos de aula e adaptar os planos para um ensino integrado a outras disciplinas ao mesmo tempo. 

No que diz respeito ao itinerário Formação Profissional e Técnica, a legislação prevê que “profissionais do notório saber” podem entrar em sala de aula como docentes. 

Por exemplo, um Engenheiro da Computação pode ministrar aulas de Informática, sem a necessidade de apresentar um diploma de licenciado. 

Quanto à equipe pedagógica, é preciso consultar e fazer um estudo minucioso sobre o que as diretrizes legislativas e oficiais dizem acerca do que é preciso modificar na escola:

Ao estudar a fundo esses documentos oficiais, a equipe pedagógica estará preparada para implementar o novo Ensino Médio. 

O período de transição pode ser desafiador no início e a equipe pedagógica precisará de um plano de ação para executar as alterações de forma organizada, além de revisitar a proposta pedagógica da escola para conferir se o documento está de acordo com as novas demandas. 

Verifique se a escola está preparada em termos de infraestrutura tecnológica para suportar o novo modelo e se há docentes preparados para isso. 

Novo Ensino Médio e o Enem

O Novo Ensino Médio se aproxima bastante da premissa de organização do Exame Nacional do Ensino Médio, o Enem. Para exemplificar, é possível mencionar que a prova é dividida em competências e não em disciplinas.

A reformulação do Ensino Médio vai pelo mesmo caminho. As disciplinas não são avaliadas de forma individual, mas sim de maneira interligada e relacionada.

O principal objetivo dessa nova versão do Ensino Médio é fazer com que o aluno relacione o que viu em sala de aula com a realidade fora de sala de aula. 

O ensino, que se desenvolve por meio de oficinas, cursos e atividades práticas, tende a ter esse efeito de correlação nos alunos, o que aumenta o engajamento, a motivação e o interesse nas aulas.

O Enem tem o mesmo objetivo: fazer com que o aluno relacione conceitos teóricos com situações do cotidiano ou com assuntos que tenham aplicabilidade prática.

Uma mudança que está prevista para acontecer no Enem, para que a avaliação tenha ainda mais relação com o novo Ensino Médio, é a aplicação da prova nos três anos finais da etapa da educação básica dos alunos brasileiros.

O chamado Enem Seriado irá trazer conteúdos desenvolvidos no 1º, 2º e 3º ano do Ensino Médio em provas distintas. O objetivo dessa nova aplicação é aumentar o rendimento escolar dos estudantes.

Quais são os benefícios da implementação do novo Ensino Médio?

Os elogios mais frequentes direcionados ao novo modelo de Ensino Médio são referentes à maior flexibilidade do aluno para escolher o seu itinerário, o que promove a autonomia do estudante e o prepara para seu futuro profissional.

Isso acontece porque é o aluno quem escolhe qual itinerário deseja seguir, o que o coloca em uma posição de protagonismo no próprio ensino. 

Sendo assim, o estudante terá mais tempo para desenvolver as habilidades que já domina e se interessa, sem deixar de lado os conhecimentos relevantes sobre os outros níveis de conhecimento. 

O Novo Ensino Médio foi pensado exclusivamente para que o aluno conclua essa etapa dos estudos com um projeto de vida e carreira definido. O modelo tradicional falhou nesse sentido, uma vez que os alunos que terminavam o Ensino Médio com a escolha da profissão era uma minoria. 

Para isso, o novo Ensino Médio irá priorizar atividades que incentivem a inteligência socioemocional dos discentes, como: 

  • Cooperação.
  • Capacidade de resolver problemas reais.
  • Habilidade de desenvolver ideias.
  • Competência de lidar com as novas tecnologias. 
  • Capacidade de elaborar seu pensamento crítico.
  • Compreensão dos próprios anseios.
  • Respeito.

Apesar de tudo isso estar presente na grade tradicional, depois de anos de prática, os alunos deixavam a escola sem desenvolver essas importantes habilidades, o que poderia comprometer o futuro profissional e pessoal dos indivíduos.

Por fim, a mudança do Ensino Médio procura transformar a sala de aula em um ambiente mais atrativo para os alunos e, como consequência, elevar a qualidade de ensino. 

Também, a busca por um ensino que prepare melhor os estudantes para a realidade do novo século é outra preocupação que motivou a reformulação do Ensino Médio. 

Tal como a educação teve que se adaptar às novas necessidades do mundo moderno e digital, sua escola também precisa se preparar para aplicar esse novo modelo de ensino.

Entenda mais sobre as escolas do futuro e saiba como a Educação 4.0 fará parte desse processo de mudança:

compartilhe:

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on google
Gerente de Produto

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *