Por Carla Helena Lange, 21 de junho de 2022
Tempo de leitura: 7 minutos

O que é educação inclusiva e qual a sua importância para as escolas?

Uma escola inclusiva garante a educação de qualidade à todos. Saiba como tornar sua instituição mais inclusiva.

O debate a respeito da diversidade é algo cada vez mais presente na sociedade. Isso porque a convivência harmoniosa entre as diferenças também deve estar presente nas escolas, sendo elas agentes fundamentais no processo de formação dos cidadãos de hoje e do futuro. Isso pode ser feito por meio da educação inclusiva.

Este é um tema que ganha espaço, sendo algo fundamental para o planejamento pedagógico e para as práticas de gestão no ambiente escolar.

É por meio de práticas e políticas de educação inclusiva que a escola se tornará um ambiente que favorece a igualdade de oportunidades e a valorização das diferenças. 

Neste artigo, abordaremos a importância da educação inclusiva, seus conceitos, desafios e o que a escola precisa fazer para garantir a promoção da diversidade.

O que é educação inclusiva?

De forma geral, a educação inclusiva em escolas é o conjunto de práticas que tem como objetivo principal a garantia do acesso à educação para todos, que é um princípio fundamental da sociedade.

De acordo com o Ministério da Educação (MEC), a educação inclusiva é um movimento em defesa do direito de todos os estudantes estarem juntos, aprendendo e participando sem nenhum tipo de discriminação.

Este modelo de educação está fundamentado na equidade como valor fundamental, de acordo com a concepção dos direitos humanos.

Ela busca garantir o respeito e a valorização da diversidade étnica, cultural, social, física, intelectual e de gênero, permitindo a maior igualdade de oportunidades e a participação de todos no processo de ensino-aprendizagem.

Um exemplo de educação inclusiva é a integração da educação especial dentro das escolas regulares, algo que tem se tornado cada vez mais recorrente no contexto atual. 

Desse modo, a escola favorece a integração de alunos com deficiência, valorizando a diversidade.

Por que a educação inclusiva é necessária?

Por conta da sua importância, o estabelecimento de projetos de educação inclusiva tem sido um desafio para profissionais de educação e gestores de instituições de ensino. 

Assim como as demais práticas adotadas na escola, a educação voltada a favorecer o respeito à diversidade e a integração deve considerar fatores como o público, o contexto e a realidade de cada escola. 

Porém, este é um assunto que precisa ser levado em conta pois está diretamente ligado a direitos fundamentais, a começar pela Declaração Universal dos Direitos Humanos. Em seu artigo primeiro, o texto diz o seguinte:

“Todos os seres humanos nascem livres e iguais em dignidade e direitos. São dotados de razão e consciência e devem agir em relação uns aos outros com espírito de fraternidade”.

O artigo 26 garante que todo ser humano tem direito à educação. No seu segundo parágrafo, o texto determina que a educação precisa ser inclusiva e universal. Veja:

“A instrução será orientada no sentido do pleno desenvolvimento da personalidade humana e do fortalecimento do respeito pelos direitos do ser humano e pelas liberdades fundamentais. A instrução promoverá a compreensão, a tolerância e a amizade entre todas as nações e grupos raciais ou religiosos”

A educação inclusiva foi estruturada em cinco princípios:

1 – Toda pessoa tem o direito de acesso à educação

2 – Toda pessoa aprende

3 – O processo de aprendizagem de cada pessoa é singular

4 – O convívio no ambiente escolar comum beneficia todos

5 – A educação inclusiva diz respeito a todos

Por muito tempo, o debate sobre inclusão social nas escolas se concentrou principalmente na educação para crianças, adolescentes e adultos com deficiência. 

No entanto, pautas como diversidade de gênero, raça e religião, por exemplo, precisam ser consideradas para que a inclusão seja de fato efetiva, em conformidade com o que determina a Declaração Universal dos Direitos Humanos.

Qual a importância da educação inclusiva?

Cadeirante circulando em uma escola inclusiva | Sponte

Além de garantir o acesso de todos à educação, as práticas de um ensino mais acolhedor também favorecem a convivência com a diversidade entre todos os alunos. 

Por meio da inclusão, os estudantes compreenderão de forma mais ampla que a sociedade é formada por pessoas e grupos com diferentes características e vivências, que cada indivíduo é único em suas capacidades físicas, intelectuais, culturais e socioeconômicas.

Isso traz consequências diretas para a forma como o aluno perceberá o mundo a sua volta, e impactará a sua relação com os demais não apenas no ambiente escolar.

Quanto mais cedo for o contato com a diversidade, mais cedo se iniciará a formação de cidadãos mais tolerantes em ambientes como o mercado de trabalho. Por isso, o papel da escola na sociedade é primordial nesse processo. 

Afinal, de acordo com a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional, de 20 de dezembro de 1996:

Art. 1º A educação abrange os processos formativos que se desenvolvem na vida familiar, na convivência humana, no trabalho, nas instituições de ensino e pesquisa, nos movimentos sociais e organizações da sociedade civil e nas manifestações culturais.

  • A educação inclusiva é um dos primeiros passos para o alcance de uma sociedade mais igualitária. Ou seja, sendo a escola um dos ambientes fundamentais para a formação dos indivíduos, a educação inclusiva é uma ótima ferramenta para a inclusão social. 

Já a inclusão social é uma forma de assegurar a participação de todos de forma democrática na sociedade, por meio de políticas e práticas que promovam o diálogo e integração com respeito a etnias, a diversidade religiosa, gênero e orientação social, condição física, entre outros.

Quais os desafios da educação inclusiva?

Crianças reunidas debatendo sobre educação inclusiva | Sponte

Implementar práticas de educação inclusiva nas escolas é um grande desafio, pois se trata de um assunto em construção dentro do ambiente escolar, e também do ponto de vista de políticas públicas. De forma mais ampla, destacamos alguns desafios em particular:

Capacitação

É necessário formar, capacitar e atualizar professores para trabalhar com alunos que possuem necessidades especiais, como professores habilitados em libras e braille, por exemplo. 

Profissionais com essas habilidades ainda são relativamente escassos no mercado, o que representa um grande desafio para a implementação de uma educação inclusiva. 

Suprir as necessidades individuais dos alunos, favorecer a convivência e promover o debate sobre tolerância entre as diferenças exige o trabalho de profissionais capacitados.

Recursos

Promover a inclusão também exige recursos financeiros, sobretudo quando falamos da educação pública. A inclusão vai além das práticas pedagógicas, incluindo também a necessidade de adaptar a estrutura da escola para pessoas com dificuldades de mobilidade.

Muitas construções não foram projetadas para favorecer a mobilidade, o que exige a realização de obras e adaptações como rampas, elevadores, barras e outros equipamentos.

Também são necessários investimentos em ferramentas tecnológicas, como teclados virtuais, salas e laboratórios multifuncionais, sistemas de computador e outras ferramentas audiovisuais que facilitam a comunicação e o aprendizado, entre várias outras.

Barreiras sociais

O processo de ensino-aprendizagem dos alunos envolve a atuação de vários outros agentes, além de professores, diretores e coordenadores. A educação é uma construção conjunta que conta com a participação das famílias e da comunidade em geral. Adotar uma gestão escolar participativa pode ser uma boa opção para a escola nesse processo. 

Por isso é necessário que todos estejam alinhados com a necessidade de promover a inclusão, e cientes de práticas e comportamentos que contribuam para este processo.

Apesar dos avanços recentes, temas relacionados à diversidade ainda encontram resistência em alguns grupos sociais, o que coloca um grande desafio para o debate sobre a educação inclusiva.

Há também a falta de conhecimento sobre o assunto, o que pode dificultar a aplicação de conceitos e propostas de educação inclusiva.

Menina com deficiência brincando com sua professora em uma escola inclusiva | Sponte

Como a escola pode promover a educação inclusiva?

Como dito anteriormente, as práticas desenvolvidas nas escolas precisam considerar diversos fatores como perfil dos alunos, a comunidade onde está inserida, entre outros. 

Um projeto de educação inclusiva consistente deve considerar as seguintes dimensões de forma contínua:

  • políticas públicas 
  • gestão escolar 
  • estratégias pedagógicas 
  • famílias
  • parceiros

É a união desses diferentes atores em um processo coletivo, de acordo com o contexto, que contribuirá para um projeto educacional mais inclusivo. No âmbito escolar, algumas práticas também podem ser consideradas:

Diálogo: Manter um canal direto de comunicação e diálogo entre toda a comunidade escolar é uma forma de valorizar o respeito mútuo e a convivência.

O diálogo é a melhor forma de envolver e mobilizar todos os envolvidos na promoção de uma educação inclusiva e no desenvolvimento de uma sociedade mais igualitária. 

Tecnologias assistivas: investir em tecnologias assistivas é uma forma de contribuir com o processo de inclusão de pessoas com deficiência. Máquinas de escrita em braille, teclados virtuais e headmouse são algumas dessas ferramentas.

Formação: investir na capacitação da equipe em Atendimento Educacional Especializado (AEE), e estimular os professores no aprimoramento constante por meio de cursos e outros treinamentos relacionados ao tema.

A escola pode oferecer treinamento em libras, por exemplo, fazendo com que as equipes estejam capacitadas a atender e educar pessoas com deficiência auditiva.

Espaços acolhedores: O projeto político pedagógico deve considerar espaços acolhedores para a aprendizagem, levando em consideração as características, os planos e os ritmos de desenvolvimento de cada aluno.

Também é importante manter um currículo flexível para que os estudantes possam se desenvolver de acordo com suas individualidades, respeitando o tempo e as necessidades do seu processo.

Esperamos que com a leitura deste texto você tenha compreendido melhor sobre este que é um dos temas mais relevantes para a educação nos dias de hoje. 

Para saber mais sobre esse assunto, leia o nosso eBook com ideias de como obter uma escola inclusiva:  

25 ideias práticas para obter uma escola inclusiva | Sponte

compartilhe:

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Analista de Conteúdo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.