Por Michelle Terres, 16 de julho de 2021

Comunicação escolar: como manter o engajamento com alunos, pais e responsáveis?

Saiba como manter o engajamento com a comunidade escolar durante este período de pandemia por meio de uma boa comunicação.

Comunicação escolar com alunos, pais e responsáveis

É fundamental implementar uma comunicação eficiente entre escola, alunos, pais e responsáveis em tempos de pandemia.

Afinal, há muito tempo não se vê mais as escolas cheias e os pais deixando seus filhos na porta das instituições de ensino. Antes, apertos de mãos eram trocados, junto de breves conversas e cumprimentos apressados.

Breves, mas frequentes: assim aconteciam boa parte das interações com pais e responsáveis no ambiente escolar. A comunicação era sempre aberta e fluida. Tanto a escola quanto a família tinham um canal aberto e recíproco para a troca de informações.

Recentemente, tudo mudou. Sem tempo para adaptação, a sociedade se viu obrigada a repensar e ressignificar o modo como as interações entre as pessoas aconteciam.

A questão do isolamento social e as medidas restritivas impostas para conter o avanço de contaminação pelo coronavírus afetaram diretamente os ambientes educacionais.

As escolas tiveram que fechar suas portas e o ensino continuou de maneira remota. Assim, estabelecer uma comunicação com a comunidade escolar — algo que antes era consideravelmente mais simples — acabou se tornando uma grande dificuldade para as instituições.

Nesse cenário, as escolas, especialmente as particulares e de pequeno porte, enfrentam um dos maiores desafios já vistos no ramo da educação. Após um ano de ensino remoto, lidar com questões como o aprofundamento da inadimplência e da evasão escolar já se tornou parte da rotina da maioria dos gestores educacionais.  

Hoje, as escolas ainda sentem uma dificuldade no que diz respeito ao engajamento dos alunos com as aulas online. Levando isso em consideração, preparamos este conteúdo para apresentar algumas sugestões de como a comunicação deve acontecer entre escola, alunos, pais e responsáveis.

Como manter a comunicação ativa em sua escola?
Como engajar os alunos durante o ensino remoto?
A importância da empatia na comunicação escolar
Sugestões para melhorar a comunicação com pais e responsáveis

Como manter a comunicação ativa em sua escola?

Como manter a comunicação ativa em sua escola

A família e a escola trabalham em conjunto no processo de ensino-aprendizagem dos alunos. Esse par é indissociável para que a formação do estudante ocorra da melhor forma possível — ainda mais com o ensino remoto.

Leia mais: A importância dos pais para a escola no ensino a distância.

Logo, pressupõe-se que família e escola precisam ter um canal ativo de comunicação, pois, somente assim, um relacionamento de confiança mútua é construído, e quem se beneficia disso é o aluno. 

Porém, a comunicação se tornou deficitária nestes tempos de pandemia. Sem prazo definido para que as coisas voltem à normalidade, parece que o distanciamento entre a família e a escola aumenta a cada dia mais.

Isso compromete diretamente o desenvolvimento do aluno, que pode ter um rendimento menor se a comunicação não ocorrer da forma como deveria.

Contudo, essa mesma tecnologia, que permitiu que o ano letivo tivesse continuidade por meio das aulas remotas, pode ser uma ferramenta a ser explorada com mais frequência para estimular a interação entre pais, responsáveis e escola.

Ampliar os canais de comunicação de sua instituição de ensino e explorar o que o ambiente virtual tem a oferecer é uma possível saída para essa grave questão da falta de comunicação.

Por exemplo, usar as redes sociais, como o Instagram, para fazer comunicados urgentes é uma ótima iniciativa, pois alcança muitos pais, responsáveis e alunos, de forma rápida e efetiva.

Usar o WhatsApp e o Telegram também é uma iniciativa bem-sucedida para veicular uma mensagem urgente ao aluno e à sua família.

Aplicativos de mensagens instantâneas são mais efetivos que o e-mail, pois as mensagens podem ser lidas imediatamente depois do envio, enquanto a segunda opção tende a ser mais demorada.

Outra excelente ideia é contar com um canal de comunicação integrado ao seu sistema de gestão, como o Portal do Aluno do Sponte. Por meio dele, é possível dar avisos e até acompanhar o desenvolvimento do estudante.

Ter essas estratégias de comunicação imediata é o primeiro passo para manter o canal aberto entre escola, aluno, pais e responsáveis. 

Além disso, a comunicação deve ser estabelecida com frequência. Portanto, notifique os interessados sobre avisos, mudanças e novos decretos para que a troca de informações confiáveis seja sempre contínua.

Outra estratégia é segmentar os setores de atendimento na escola. Tenha departamentos separados para questões pedagógicas, financeiras ou de infraestrutura tecnológica.

Assim, os responsáveis do aluno, ao entrar em contato com a escola, terão sua dúvida atendida pela pessoa certa, em um processo de comunicação satisfatório.

Por outro lado, se os pais buscarem a escola e tiverem que esperar para serem atendidos, ou serem respondidos por alguém não preparado para atendê-los, a comunicação não é efetiva e desencoraja futuras interações.

É preciso, nesse momento, pensar estrategicamente e com organização para estabelecer um canal de comunicação ativa. 

Por fim, claro, mantenha as portas da escola abertas para que os responsáveis possam conversar com o coordenador ou gestor e, também, com os professores, seja para tirar alguma dúvida, seja para resolver pendências mais sérias. 

Como engajar os alunos durante o ensino remoto?

Como engajar os alunos durante o ensino remoto?

A comunicação é um processo de duas vias e nunca pode ser visto como unilateral. Isso quer dizer que as duas partes que estão em um processo comunicativo precisam estar engajadas e interessadas para mantê-lo em constância.

O cenário que se encontra em salas de aula virtuais é um pouco diferente dessa definição de comunicação. Em muitos casos, os alunos não se encontram engajados no ensino remoto, o que torna a comunicação do professor unilateral, isto é, pouco eficaz.

A interação precisa acontecer no ambiente virtual, especialmente agora, mais do que nunca. Mas, o que fazer para encontrar esse engajamento?

A visão de que o ensino remoto é passivo, ou seja, a mera exposição de conteúdos pelo professor, é equivocada. A interação pode ser, sim, explorada no ambiente virtual.

De maneira organizada e bem conduzida, o professor consegue abrir espaço para que o aluno participe das aulas ao pedir que ele assista à aula com a câmera ligada e solicite informações via bate-papo.

Os alunos, ainda, podem realizar breves apresentações à classe no ensino remoto e convidarem seus familiares a assistir determinada parte da aula ou compartilhar algum relato.

Essas práticas aproximam a família, o aluno e a escola novamente. Ao colocar os estudantes em uma posição mais ativa, o ensino remoto consegue ser plenamente explorado.

Leia mais: Metodologias ativas nas aulas a distância: como aplicar?

É errôneo pensar que o ambiente virtual reduz as possibilidades, quando, na verdade, é o oposto. Se o professor souber usar a ferramenta digital em seu favor, os alunos terão mais engajamento durante as aulas.

Isso só acontece quando toda a equipe pedagógica, família e aluno trabalham em conjunto.

A importância da empatia na comunicação escolar

Um problema sério que compromete o processo de comunicação, seja qual for a sua natureza, é quando não há empatia. 

Isso é especialmente problemático no contexto de vulnerabilidade atual. A comunicação pressupõe que exista o diálogo entre as partes, mas isso nem sempre acontece. 

É preciso reconhecer que há dificuldades em conduzir o ensino a distância, pois afirmar que o problema existe é o primeiro passo a resolvê-lo.

Seja por falta de familiaridade dos pais e responsáveis com as tecnologias, seja pela dificuldade em adaptação, a escola deve acompanhar de forma personalizada os alunos e oferecer o suporte necessário.

As famílias e os alunos precisam sentir que a escola está engajada em manter a qualidade de ensino e está trabalhando em prol do desenvolvimento de cada um dos matriculados.

É preciso ser flexível e entender algumas questões que se apresentam no ensino remoto, como o recebimento de atividades atrasadas e faltas nas aulas por conta da instabilidade na conexão de internet dos alunos.

Outra forma de mostrar empatia, é oferecer suporte extraclasse aos alunos que apresentam dificuldades. Ao fazer isso, a escola se mostra tão interessada quanto os pais e responsáveis no desenvolvimento intelectual dos estudantes.

Nesse sentido, quando os responsáveis e a escola têm um canal aberto de comunicação, o desenvolvimento dos alunos não é comprometido.

Sugestões para melhorar a comunicação com pais e responsáveis

Estabelecer a comunicação com pais e responsáveis neste período de pandemia é desafiador, mas nunca impossível.

Há algumas práticas que podem ajudar a fazer com que a interação aconteça de forma eficaz e constante:

  • Tenha vários canais de comunicação, como e-mail, aplicativos de mensagem instantânea, telefone e Portal do Aluno. Deixe para os responsáveis a liberdade de escolher qual canal usar.
  • Forme grupos com os pais para transmitir informações e mensagens. Tal canal pode ser usado como um fórum de discussão para a troca de experiências e sugestões e para o envio de feedback de questões gerais.
  • Tente personalizar e segmentar a sua comunicação. Por exemplo, ao entrar em contato com pais e responsáveis de crianças em fase de alfabetização, é interessante ter um tom mais lúdico, com muito foco no bem-estar do aluno. 

Já para a família de um estudante de ensino médio, a comunicação deve ser mais direta e focada nos resultados, pois o aluno está se preparando para ingressar em uma universidade.

Por isso, em vez de se comunicar com todos de uma forma padronizada, tenha o cuidado de usar um tom diferente de acordo com cada situação.

  • Humanize a sua comunicação, pois o digital não elimina o fator humano das relações sociais. Do outro lado da tela ou telefone, os alunos e responsáveis precisam sentir que estão conversando com uma pessoa de carne e osso e disposta a ajudar.
  • Incentive os alunos a gravarem vídeos com dúvidas para os professores, assim, você aumenta o engajamento deles nas atividades escolares.

A aprendizagem e desenvolvimento do aluno só continuará se houver um canal de comunicação claro entre a instituição de ensino e o aluno, especialmente se estivermos falando de crianças que precisam de mais suporte e atenção.

Por intermédio de um processo colaborativo entre escola e família, não há abertura para que os alunos saiam prejudicados pelo ensino remoto.

Essa parceria, a qual sempre foi necessária no contexto educacional, atualmente, se faz ainda mais imprescindível. Então, se você deseja melhorar ainda mais a comunicação na sua escola, confira nosso eBook sobre o assunto:

compartilhe:

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on google
Gerente Comercial

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *