Gestão democrática: conheça quais são os benefícios dessa prática

Entenda por que a gestão democrática pode transformar sua escola, com mais engajamento com a comunidade escolar, menos indisciplina e outras vantagens.

Por Cristopher Morais em 09 de abril de 2021.

Os benefícios da gestão democrática em escolas são muitos. Afinal, proporcionar um ambiente adequado para os alunos é uma maneira de fazer com que eles fiquem mais interessados em seu aprendizado e exercitem importantes valores que são utilizados na sociedade. 

Por isso, a gestão democrática acaba sendo um contraponto interessante ao modelo de gestão tradicional e centralizado, que nem sempre contempla essas lições de vida na prática. 

Além disso, o modelo tradicional muitas vezes deixa alunos, pais e demais membros da comunidade escolar de fora das principais tomadas de decisão. 

O resultado é que muitos alunos e seus responsáveis se sentem desestimulados a participar do dia a dia da instituição. Essa ausência impacta muito o desempenho escolar dos estudantes de forma negativa, sobretudo no ensino básico.

A escola precisa ser um ambiente de troca, construção de valores e crescimento intelectual. Um lugar onde cidadãos são formados para liderar a sociedade no futuro. Por isso, muitas instituições já estão implementando o modelo de gestão democrática e colhendo seus frutos.

Confira a seguir quais são os principais benefícios que sua escola terá com a implementação do modelo de gestão democrática:

Descentralização de decisões na gestão escolar
Mais engajamento com alunos, pais e responsáveis
Desenvolvimento do pensamento crítico dos alunos
Diminuição da indisciplina em sua gestão escolar
Estímulo ao exercício da democracia por toda a comunidade escolar
Alimentação do espírito de coletividade da comunidade escolar
Amadurecimento dos participantes da gestão escolar

Descentralização de decisões na gestão escolar

Do ponto de vista da gestão, esse é um dos maiores benefícios. A descentralização de decisões significa que todas as responsabilidades não ficarão nas costas do gestor. Elas serão compartilhadas com os demais membros da comunidade escolar.

A vantagem disso é poder contar com percepções diversas de pessoas que podem vivenciar as questões com mais proximidade. Logo, elas serão capazes de fornecer um panorama mais assertivo sobre o assunto, o que torna o processo de acompanhamento e tomada de decisão muito mais coerente com a situação e as necessidades da escola.

Dentro do ambiente online, isso se torna ainda mais importante, pois, com tantas microcomunidades interagindo a todo instante na escola, saber o que está acontecendo com todos é uma tarefa muito difícil.

É claro que os papéis de vice-diretor e coordenadores existem para auxiliar nessa questão. Mas com um ambiente online bem estruturado, fica mais fácil acompanhar o andamento de cada setor da instituição.

Ter essas informações bem organizadas, num banco de dados integrado e com possibilidade de fácil disseminação para todos os membros da comunidade escolar, é fundamental para uma gestão democrática.

Mais engajamento com alunos, pais e responsáveis

As instituições de ensino são fontes de conhecimento, orientação, crescimento intelectual e mais. As escolas de ensino básico possuem a importante função de formar cidadãos.

É claro que a educação cidadã e a construção de valores não são responsabilidades exclusiva da escola. Os pais possuem um papel central nisso.

Mas responsáveis e educadores precisam trabalhar em conjunto para que as crianças e jovens aprendam sobre coletividade, responsabilidade, além de outras competências socioemocionais essenciais para a vida em sociedade. E isso é um grande foco da gestão democrática.

Ao incluir os alunos na gestão da escola, você permite que eles compreendam contextos e valores importantes para a vida em sociedade, como trabalho em conjunto, exercício da democracia e estar aberto para ouvir e debater diferentes perspectivas para um mesmo problema.

A participação dos alunos é, então, crucial para o sucesso desse modelo de gestão escolar. Ela é capaz de fazer com que eles se sintam mais empenhados e participem mais ativamente das tomadas de decisões, aulas e demais atividades da escola. 

As consequências dessa mudança de postura para o processo de aprendizado são muito positivas. No cenário da implementação da gestão democrática, os estudantes encontram maneiras de serem protagonistas de seu próprio aprendizado e de terem mais autonomia.

Ainda assim, é preciso lembrar de que, atualmente, a instituição de ensino extrapola os muros da escola e tem seu próprio espaço online. A construção de um ambiente saudável para toda a comunidade escolar depende da participação ativa e responsável dos alunos também quando eles estão em casa. E isso é fruto de uma boa gestão democrática.

Os pais, muitas vezes, acabam ficando distantes do processo de aprendizado dos filhos: geralmente por motivos de trabalho e outras responsabilidades.

Isso tende a se agravar no ensino médio, quando o aluno começa a gerir seu próprio processo pedagógico sem acompanhamento dos responsáveis. No entanto, essa participação continua a ser essencial.

Nesse contexto, é preciso levar a gestão democrática para o mundo online, com ferramentas digitais que aproximem pais e responsáveis da gestão escolar não só no quesito de acompanhar seus filhos, mas também para participar das decisões e processos que lhes cabem dentro da escola.

  • Saiba como aumentar o engajamento dos pais, responsáveis e alunos: Portal do Aluno e App Sponte Agenda

Desenvolvimento do pensamento crítico dos alunos

Uma das questões mais importantes da gestão democrática é o fato de essa prática desenvolver o pensamento crítico e político, tanto dos alunos quanto dos demais membros da comunidade escolar.

Dentro desse modelo de gestão, todos os envolvidos possuem voz e podem propor soluções para os dilemas da instituição, bem como opinar sobre essas soluções. 

Nesse processo, divergências certamente aparecerão e lidar com elas de forma respeitosa e construtiva faz parte do amadurecimento e desenvolvimento dos alunos, os quais, por sua vez, esperam ver essa mesma atitude nos adultos que os cercam, como professores, coordenadores e pais.

Incluir os alunos nos processos de tomada de decisão é um fator que precisa ser praticado com frequência para que todos aprendam a exercer seu pensamento crítico. Claro que cada turma participa de forma coerente com seu nível de maturidade.

As turmas do fundamental I e II podem começar de forma simples, opinando e discutindo com seus professores decisões relacionadas ao seu cotidiano na sala de aula. As turmas do ensino médio podem (e devem) ser encorajadas a discutir questões relacionadas à gestão escolar e pedagógica, obviamente com a curadoria, supervisão e orientação dos coordenadores e professores.

O importante é que isso não seja um ato apenas simbólico. As falas dos alunos precisam realmente ser objeto de reflexão pela gestão e, se possível, implementadas. Isso também dará segurança aos estudantes de que eles estão realmente sendo ouvidos e levados em consideração.

Diminuição da indisciplina em sua gestão escolar

A indisciplina na escola pode ser causada por falta de motivação e de interesse no aprendizado. 

Assim, com a gestão democrática, os estudantes indisciplinados terão a oportunidade e a motivação para mudarem sua postura.

Essa prática possibilita que eles participem das discussões que abordem melhorias, como implementação de metodologias e aulas mais dinâmicas, e acolhimento das suas necessidades.

Além disso, transferir para os alunos uma parte da responsabilidade de garantir um ambiente e um convívio harmonioso, fará com que eles prestem atenção e zelem pelo seu entorno. 

Tudo com a orientação do professor, claro. Discutir as regras da escola e da turma, por exemplo, já é um primeiro passo para fazê-los entender os benefícios do bom comportamento e como isso depende deles.

Estímulo ao exercício da democracia por toda a comunidade escolar

O exercício da democracia é um direito de todo cidadão. Por isso, é essencial que a escola pratique desde cedo esse conceito e possa ensinar para seus estudantes os assuntos que estão envolvidos com ele. 

Com a gestão democrática, há como aplicar esse aprendizado na prática para que todos entendam o que é a democracia e o que é função de cada cidadão.

Aprender a lidar com a democracia de maneira responsável é mais um dos benefícios desse método de gestão escolar. Afinal, ele coloca os alunos em contato com esse universo desde cedo, ajudando-os a entender como o sistema democrático se aplica em suas vidas cotidianas.

O ambiente online, por exemplo, já é dominado pelos mais jovens, conhecidos como a geração nativa-digital. Porém, o espaço cibernético pode ser um ambiente nocivo, especialmente para os adolescentes. Sendo assim, a gestão democrática da escola auxilia na construção de valores que esses alunos levarão para suas vidas, incluindo nas redes.

Alimentação do espírito de coletividade da comunidade escolar

A escola é um espaço coletivo por essência. Nela convivem professores, gestores, alunos, coordenadores, zeladores e tantos outros funcionários. Portanto, precisa ser um ambiente que atenda a necessidade de todos e tenha condições propícias para seu trabalho e estudo.

Um dos principais pontos da gestão democrática é o fato de ela trabalhar o espírito de coletividade, por ser uma demanda que possibilita que todos os membros da comunidade escolar – famílias, alunos, corpo docente, gestores e colaboradores – estejam unidos e possam trabalhar juntos.

É uma maneira de fazer com que todos tenham liberdade de expressão e noções de vida em sociedade. Trabalha, também, a tolerância e respeito à diversidade de ideias, que é um ponto crucial para a democracia.

Somente com todos esses pontos norteando as discussões é possível construir uma escola verdadeiramente plural. Mais uma vitória da gestão democrática!

Amadurecimento dos participantes da gestão escolar

Todos os participantes – principalmente os alunos – podem se beneficiar e amadurecer sua postura como cidadãos e suas relações interpessoais, além de trabalhar a independência e o crescimento pessoal por estarem mais envolvidos nas tomadas de decisões que fazem parte da gestão e do cotidiano da escola.

Isso se dá principalmente por estarem lidando com pessoas de diferentes faixas etárias, sejam os seus professores e coordenadores, sejam os seus pais ou ainda colegas de outras turmas. Isso fica ainda mais explícito nos alunos de ensino médio, que já possuem maturidade para lidar com questões mais complexas e opiniões de diversos membros da comunidade escolar.

Sua escola já trabalha com a gestão democrática? Compartilhe sua experiência conosco nos comentários!

E se você quer começar a aplicar esse método de gestão escolar, confira algumas dicas de como colocá-lo em prática em nosso eBook:

Baixe agora: A Importância do Planejamento Participativo na Gestão Escolar Democrática

Cristopher Morais / Gerente de Produto

Atualmente é Gerente de Produto, com mais de 10 anos em experiência soluções inteligentes na área da educação, faz parte do time da Sponte há 13 anos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *