Qual o objetivo da avaliação escolar?

A avaliação escolar é algo tradicional na educação e muito importante, mas é preciso repensar seus objetivos e métodos. Descubra como:

Por Cristopher Morais em 02 de junho de 2020.

Tradicionalmente, quando se fala em prova, a primeira reação dos alunos tende a ser negativa. Ficam nervosos, preocupados e desmotivados. Aposto que você, gestor ou professor que está lendo este post, lembra bem do desgaste  nos processos de correção das avaliações, não é mesmo?

Essa tradição do processo avaliativo, que professores de diversas gerações anteriores aplicaram, faz com que educadores de hoje ainda precisem lutar muito para se desvencilhar das amarras desse método antigo, afinal, eles próprios não conheceram outra forma.

Para conseguir melhorar esse processo, a primeira coisa a se fazer é entender os motivos da existência da avaliação, qual a melhor forma de avaliar (considerando todos as partes envolvidas) e, principalmente, como lidar com os seus resultados.

Neste post vamos tratar de todos esses assuntos, que são parte fundamental do processo pedagógico em qualquer instituição de ensino. Confira:

Por que avaliar?

Antigamente, a avaliação era utilizada também como um instrumento de poder do professor sobre os alunos. E as notas, por sua vez, serviam para rotular os estudantes, separando-os entre os “melhores” e “piores” da turma. 

Esse tipo de tratamento dado ao processo avaliativo não possui efeito positivo sobre o desenvolvimento do aprendizado dos alunos.

Atualmente, tem-se um outro olhar sobre tudo isso. A avaliação escolar é tida como uma forma de diagnosticar a situação de aprendizagem de cada aluno.

Ou seja, sua função é verificar o quanto do conteúdo ensinado foi absorvido pelos alunos, bem como aferir se eles estão conseguindo acompanhar a programação curricular.

Além disso, a avaliação mostra as fragilidades de cada aluno. Esses pontos não devem ser encarados como fraquezas, mas sim como objetivos a serem alcançados nos próximos passos da jornada.

Engana-se também quem pensa que as avaliações se aplicam apenas aos alunos. O resultado delas é essencial para averiguar se o método de ensino que está sendo usando em sala pelo corpo docente está sendo eficaz. A partir disso, o professor pode refletir e aprimorar sua metodologia.

Como fazer uma avaliação?

Neste post já utilizamos a expressão “processo avaliativo”, e isso tem um porquê. O ato de avaliar começa muito antes da elaboração da prova ou atividade. 

É preciso, primeiramente, analisar os motivos da avaliação e, consequentemente, definir seus objetivos. Por que você está avaliando? O que você quer saber? Como você vai analisar os resultados para chegar a uma conclusão?

A partir dessas perguntas, o professor pode eleger o método mais adequado para aplicar. Existem diversas metodologias de avaliação:

  • Observar os alunos;
  • Solicitar que eles façam redações sobre determinado tema;
  • Aplicar provas objetivas;
  • Avaliação de trabalhos práticos;
  • Propor debates;
  • Apresentação de seminários.

Essas são apenas algumas propostas de avaliação escolar. De acordo com especialistas da área da educação, é interessante avaliar de diferentes maneiras, pois cada turma tem suas necessidades.

Além disso, a avaliação precisa ser um processo contínuo, que vai se ajustando conforme as necessidades aparecem. Sendo assim, é perfeitamente possível e desejável que mais de um método de avaliação apareça no planejamento pedagógico, além da velha prova escrita.

Vale lembrar que os “resultados das avaliações” não se referem apenas às notas das provas. Os registros de acompanhamento escolar também são importantes, pois mostram de forma detalhada o percurso do aluno e das aulas. Dali se tiram muitos dados sobre como está indo o processo de ensino.

Avaliar com base em quê?

A avaliação escolar só tem sentido se estiver de acordo com o conteúdo ensinado em sala de aula. Tentar avaliar os alunos com conteúdos não vistos foge totalmente da proposta educacional. 

Isso parece óbvio, mas as coisas podem se tornar muito confusas se o professor decidir usar um trabalho de pesquisa como fonte principal de nota.

Se o professor quiser aplicar uma avaliação sobre determinado assunto, deve ensiná-lo antes. Da mesma forma, se quer que os alunos façam uma pesquisa, deve ensiná-los como fazê-la e entender que os resultados podem (e provavelmente serão) diferentes dos esperados. Logo, o professor precisa ser compreensivo se o aluno não aparecer com todos os dados sobre o assunto. 

Lembre-se que todos os exames feitos em sala de aula, sejam eles bons ou ruins, servem para que o corpo acadêmico consiga tomar decisões mais precisas quanto à aprendizagem dos alunos. 

Se as respostas não atingirem suas expectativas, o professor pode procurar outra forma de transmitir o conteúdo e explicar os assuntos para que os alunos tenham um melhor desempenho. Como dito anteriormente, a avaliação é um processo contínuo e deve ser assim para o professor também.

Analisando resultados

Você sabe qual o objetivo da avaliação escolar? | Sponte

Encarar o resultado das avaliações é sempre um ponto delicado. Quando o assunto for o resultado das provas, é fundamental que os professores devolvam as avaliações para os alunos, para que eles vejam seus erros e acertos. 

É direito do aluno ter acesso aos dados sobre seu rendimento: algo extremamente importante para que ele possa se autoavaliar. Isso é essencial para seu crescimento no âmbito escolar e seu amadurecimento enquanto pessoa.

Os professores devem, contudo, tomar alguns cuidados na hora da devolução. A já tradicional caneta vermelha pode não ser a melhor estratégia de devolutiva, uma vez que, além de ser uma cor chamativa, está estigmatizada como uma cor de alerta, trazendo a ideia de “perigo” e “errado” (tendo a escola muita responsabilidade sobre essa última interpretação).

Outra forma interessante de contribuir com o resultado da avaliação é devolver a prova com anotações à parte, não em meio às questões. Assim o aluno saberá todos os pontos a serem melhorados evitando o constrangimento e a sensação de que “tudo foi um erro” ao ver seu exame rabiscado.

Em casos que precisem de atenção especial, conversar a sós com o aluno é uma solução muito melhor do que expô-lo na frente de toda a sua turma. Isso também evita constrangimentos. 

Ao lidar com o aluno, seja paciente, empático e cuidadoso. Isso o deixará mais calmo e, consequentemente, ele será mais receptivo ao que você tem a dizer.

Ao comunicar aos pais e responsáveis o resultado do desempenho dos filhos, é importante situá-los dentro desse novo conceito de avaliação. A maioria deles foi educado em um sistema tradicional, com todas as características que falamos antes, e podem ter dificuldade de entender as novas propostas postas em prática hoje em dia.

Conte com a avaliação digital como sua aliada

Atualmente, o ensino à distância está ganhando espaço dentro das escolas. Com o isolamento social, as novas tecnologias se tornaram indispensáveis para o processo educacional. Nesse cenário, a avaliação digital apareceu como parte integrante do processo.

Porém, gerenciar tudo isso pode ser um desafio intimidador para gestores que ainda não possuem experiência com a metodologia. Por isso, o ideal é investir em um software que seja intuitivo e simplifique sua rotina na escola.

Com o software Sponte na sua instituição, os professores, gestores e demais profissionais terão à sua mão uma ferramenta completa que irá ajudá-los a fazer a gestão financeira e pedagógica com mais agilidade e eficiência. 

De forma integrada, você terá controle sobre todas as informações e poderá disponibilizá-las conforme desejar. O Portal do Aluno facilita esse processo para estudantes e professores. 

O Sponte oferece também ferramentas automatizadas de cobrança, ajudando nas atividades do departamento financeiro.

Entre tantos benefícios que um software educacional pode oferecer à sua escola, um deles é a visualização online das notas. Ou seja, as tarefas do dia a dia e também a forma de passar os resultados das avaliações aos alunos serão muito mais simples. 

Todas essas facilidades estão à mão do estudante pelo App do Aluno. Totalmente integrado ao sistema, esse aplicativo permite ver dados como o cronograma de aulas, o calendário pedagógico e de eventos, imprimir a 2ª via de boletos, conferir o histórico financeiro das parcelas e consultar notas e faltas. Assim, somente alunos, professores e responsáveis poderão ver as notas, sem risco de constrangimento.

Conte com o Sponte para organizar e manter um plano educacional efetivo. Ele se adapta à sua realidade. Não importa se você tem um sistema de avaliação por notas ou por conceitos, o programa tem funções que automatizam todos os processos da gestão de ensino e, com isso, você tem mais tempo para se concentrar em melhorar sua instituição de ensino.

Um novo olhar sobre o conceito de avaliação se faz muito necessário hoje em dia, sobretudo em um momento em que a educação se desdobra e aparece em cada instituição com uma nova roupagem, com metodologias diferentes. 

Esperamos que com esse post você tenha aprendido um pouco mais sobre as avaliações e sua importância não só para o aluno, mas para toda a gestão escolar e processo educacional.

E na sua escola, qual método avaliativo é mais utilizado? Quais resultados são obtidos através deles? Conte para a gente nos comentários!

Aproveite também para entender mais sobre as soluções possíveis para escolas em tempos de coronavírus, no nosso eBook gratuito:

Cristopher Morais / Gerente de Produto

Atualmente é Gerente de Produto, com mais de 10 anos em experiência soluções inteligentes na área da educação, faz parte do time da Sponte há 13 anos.