Por Suellen Bosse, 07 de outubro de 2021

Volta às aulas presenciais: como sua gestão escolar pode lidar com o medo da covid-19?

Como a gestão escolar de ensino básico deve lidar com a volta às aulas presenciais e alunos com receio de sair do modo remoto pelo medo da covid-19.

Volta às aulas presenciais: como a gestão escolar deve lidar? | Sponte

Depois de um ano e meio de escolas fechadas e ensino a distância, as aulas presenciais estão voltando. Muitos alunos não veem a hora de retornar à escola e reencontrar os colegas! Mas nem todos compartilham dessa sensação.

As perdas desse período, a insegurança do isolamento e o medo da covid-19 ainda estão vívidos na mente de muitos alunos, pais e responsáveis. Sem falar que a pandemia não acabou: o risco ainda existe, mesmo com os cuidados que sua escola pode tomar para oferecer uma volta às aulas presenciais com segurança

Dessa forma, há alunos que não querem retornar à escola, assim como pais e responsáveis que estão receosos em deixá-los ir por medo da contaminação do vírus. 

Neste artigo, então, falaremos sobre o papel da escola nesse contexto, com soluções para que a gestão escolar possa manter a qualidade de seu ensino e a organização de sua gestão pedagógica.

Acompanhe:

A importância das escolas para o desenvolvimento de alunos
O medo da covid-19 na volta às aulas presenciais
Obrigatoriedade para a volta às aulas presenciais não é a saída
O caminho é oferecer segurança na escola
Mostre para a comunidade escolar que sua escola está preparada
Ofereça acolhimento e apoio à comunidade escolar

A importância das escolas para o desenvolvimento de alunos

Com a adequação de muitos alunos ao sistema remoto de ensino, muitos estudantes, pais e responsáveis podem questionar a necessidade da escola presencial. Afinal, está tudo nos livros e na internet, não é mesmo?

A verdade é que esse pensamento é muito prejudicial tanto para as escolas quanto para os próprios alunos. Isso porque a instituição escolar está longe de ser um lugar onde se aprende apenas o conteúdo de livros e apostilas, e muitas pessoas estão se esquecendo disso. 

É justamente esse o ponto que o gestor escolar precisa lembrar às famílias.

Dados e informações, assim como as grande parte das relações e interações entre jovens, estão presentes nas redes sociais. Mesmo assim, a vida na internet, com relações e atividades a distância, deixa muitas experiências essenciais de fora.

Os professores, por exemplo, são parte fundamental do processo de ensino e aprendizagem. Buscar conhecimento sozinho pode ser uma característica interessante a ser desenvolvida, pois estimula a autonomia do estudante e a capacidade de procurar soluções para os seus problemas. 

Leia mais: 4 passos para seu aluno ser protagonista do próprio aprendizado

No entanto, a figura do professor como um orientador é essencial para que o aluno saiba como e onde buscar as respostas de suas perguntas e como evitar informações falsas e prejudiciais. 

Sem falar que o educador é um agente ativo no processo educacional ao apresentar metodologias didáticas adequadas ao contexto dos estudantes, facilitando seu entendimento e aprendizado.

Mesmo que isso seja possível nas aulas online, a presença dos alunos no ambiente físico da escola, ou mesmo em uma metodologia de ensino híbrido, pode somar muito às experiências e à educação deles.

CTA

A socialização dos alunos também é parte importantíssima da vida escolar. Os primeiros amigos de fora da família, por exemplo, costumam ser feitos na escola. Não é incomum, inclusive, que as pessoas levem essas amizades para a vida toda.

Para além disso, a escola proporciona situações que os alunos podem não experimentar em outro lugar, como os trabalhos e projetos em grupo. 

Todas essas experiências que o estudante vive dentro da instituição são responsáveis pelo desenvolvimento da empatia, compaixão, solidariedade, senso crítico, capacidade de mediar conflitos e até mesmo autocontrole.

Especialmente na adolescência, a escola é espaço de autoconhecimento, em que o aluno se identifica ou não com os grupos sociais presentes em sua turma e aprende a conviver com as diferenças, colocando em prática valores como respeito e tolerância, que são extremamente importantes.

Além disso, na escola criamos memórias que levamos para toda a vida. Elas nos moldam e fazem parte do amadurecimento, sendo, portanto, essenciais para o desenvolvimento completo e saudável de uma pessoa.

Assim, ainda que os alunos prefiram manter-se em casa durante um tempo, devido à pandemia, sua escola deve mostrar para eles e seus pais, ou responsáveis, que a escola ainda tem muito a oferecer, quando ele estiver pronto para voltar.

O medo da covid-19 na volta às aulas presenciais

A covid-19 já se provou uma doença um tanto imprevisível e bastante perigosa. Por isso, mesmo que a vacinação esteja acontecendo no Brasil, o receio de voltar às aulas presenciais continua.

E, de fato, a preocupação é legítima, mas é preciso tomar cuidado para que o medo não acabe prejudicando a vida das crianças e adolescentes.

A verdadeira fobia que a covid-19 causa em um aluno pode acabar comprometendo seu desenvolvimento pessoal, emocional e intelectual, uma vez que é um fator de impedimento para dar continuidade à sua educação básica. Afinal, para esse estudante, permanecer em ambiente escolar será desagradavel.

Nesse contexto, o gestor escolar precisa compreender qual é a raiz do problema, ou seja: o que está causando essa insegurança em seu estudante

A partir disso, é importante oferecer formas de remediar essa situação, fazer o aluno sentir-se protegido e realmente garantir sua segurança na escola.

Contudo, o gestor também deve ter empatia com a situação dos alunos e dar espaço para um posicionamento. Se eles não estão prontos para voltar, não cabe à escola forçar esse retorno.

Obrigatoriedade para a volta às aulas presenciais não é a saída

Volta às aulas presenciais: como a gestão escolar deve lidar? | Sponte

Na ânsia de querer mais adesão às aulas presenciais, muitos gestores podem se precipitar e retirar o ensino a distância como opção para os alunos que preferem continuar em casa. Esse é um erro que deve ser evitado.

Afinal, os pais e responsáveis que fizeram a escolha de deixar seus filhos em modo remoto podem sentir-se desrespeitados pela instituição. O resultado disso tende a ser a evasão escolar, o que é muito negativo na gestão da sua escola de educação básica.

E mesmo que a evasão não aconteça e o aluno volte a frequentar a sala de aula (nesse caso, praticamente obrigado), ele provavelmente não se sentirá à vontade. Assim, seu rendimento em aulas será comprometido. 

Portanto, o gestor precisa mostrar que sua escola está segura para que alunos, pais e responsáveis possam aderir novamente ao ensino presencial. 

É preciso muita paciência, diálogo e, também, ações! O público da escola precisa realmente sentir que a instituição está investindo e se esforçando para manter toda a comunidade escolar protegida.

O caminho é oferecer segurança na escola

Antes de mais nada, é fundamental certificar-se de que a escola está preparada para receber alunos presencialmente. Muitas já funcionam em esquema de rodízio. Só que, agora, estamos falando de uma volta às aulas geral, então os cuidados precisam ser redobrados.

Somente com uma escola segura, os estudantes, pais e responsáveis se sentirão à vontade para voltar a frequentar o ambiente da instituição.

Observe que a presença de alunos não é uma consequência automática do “fim da pandemia”, mas sim um processo. Tudo acontecerá à medida que eles forem adquirindo confiança novamente para sair de casa e frequentar a escola.

Vale a pena relembrar alguns pontos importantes para ter sua escola pronta para receber os alunos com segurança:

Uso de máscara, álcool e higienização 

Com mais de um ano de pandemia, estamos acostumados a certos rituais para evitar a contaminação pelo coronavírus.

Ainda assim, é sempre válido lembrar e incentivar os alunos a usarem álcool em gel e lavar as mãos com frequência. O uso da máscara deve ser obrigatório para todos, recordando sempre de evitar tocar o equipamento de proteção.

4 dicas que toda secretária odontológica deve saber | Dental Office

Atenção à limpeza

Mais do que nunca, a limpeza das escolas precisa ser caprichada. É recomendável também manter o ar circulando, deixando as janelas abertas, arejando bem os ambientes.

Acompanhamento de sintomas

Prevenção é a palavra de ordem neste momento. Por isso, a escola precisa estar atenta a qualquer sintoma que um aluno ou funcionário venha a ter. Checagem de temperatura é uma prática secundária a se implementar, especialmente se a escola tiver recursos para investir em termômetros digitais. Ela não é eficiente a ponto de dispensar as demais práticas, mas ajuda a melhorar a sensação de segurança para alunos, pais e responsáveis.

Manter uma boa comunicação com pais e responsáveis também é importante para saber se algum deles apresentou qualquer indício de covid-19. As atualizações e avisos podem, inclusive, ser feitos com o sistema de gestão escolar, por meio do Portal do Aluno.

Leia mais: Mantenha as famílias engajadas no ensino remoto

Cuidado com o uso de espaços coletivos

Evitar aglomerações é crucial para prevenir contaminações. Sendo assim, planeje a logística dos alunos para impedir que grupos muito grandes estejam no mesmo ambiente.

É importante, também, lembrá-los de manter uma certa distância uns dos outros. Inclusive o uso de banheiros deve ser individual, uma vez que esses ambientes são propícios para a aglomeração.

Atenção redobrada na hora do lanche

No momento de se alimentar, inevitavelmente, os alunos precisarão tirar a máscara. Os professores e inspetores devem orientá-los a manter uma distância segura uns dos outros, evitar compartilhar alimentos e, principalmente para as crianças, conter agitações. O cuidado nesse momento deve ser intensivo.

Vacinação

Exigir a vacinação de funcionários e de alunos que estejam aptos também é uma medida válida a ser tomada. A exigência em mostrar a carteirinha em matrículas e rematrículas é assegurada pelo estado, como no Paraná, pela lei estadual n.º 19.534.

Lembre sua comunidade escolar de que tomar a vacina não é apenas para um bem individual, mas sim coletivo, de toda a escola e sociedade.

Mostre para a comunidade escolar que sua escola está preparada

Volta às aulas presenciais: como a gestão escolar deve lidar? | Sponte

Tendo tomado todos os cuidados e investido pesado na segurança dos alunos, é hora de mostrar a eles e seus pais e responsáveis que a escola é um ambiente seguro e confiável.

Convide os estudantes e seus responsáveis para uma visita às instalações da escola. Vendo de perto os procedimentos adotados e a seriedade com que a gestão trata a segurança dos alunos, eles certamente sentirão mais confiança na instituição.

Outra forma interessante de divulgar o preparo da escola para as aulas presenciais é com as redes sociais institucionais para mostrar o dia a dia dos alunos, reforçando como o protocolo de segurança está sendo seguido à risca.

Também mostre que os funcionários e professores estão vacinados. Esse é mais um fator tranquilizante para todos.

Ofereça acolhimento e apoio à comunidade escolar

Mesmo que a decisão de voltar a frequentar a escola presencialmente seja tomada, muitos alunos ainda podem se sentir um pouco receosos. 

Portanto, a gestão escolar precisa garantir que os estudantes recém-chegados do ensino remoto se sintam bem recebidos e acolhidos e irão receber o apoio que precisam para se adaptarem à nova rotina escolar.

Quer saber mais sobre como preparar as escolas para receber os alunos presencialmente? Ou como a gestão escolar pode lidar com os alunos que ainda não querem voltar? Então acesse nosso eBook gratuito que contém informações necessárias para que sua escola volte segura:

O retorno às aulas presenciais e a COVID-19

compartilhe:

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on google
Gerente de Marketing

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *