Por Cristopher Morais, 15 de julho de 2021

Como a tecnologia ajuda a combater a evasão e o abandono escolar?

Saiba como ferramentas tecnológicas podem ajudar na retenção de alunos, combatendo a evasão e o abandono escolar.

Como a tecnologia ajuda a combater a evasão e o abandono escolar

A evasão e o abandono escolar são problemas sérios que precisam ser mantidos em níveis baixíssimos. Caso contrário, a saúde financeira da escola ficará seriamente comprometida.

O aluno que está prestes a abandonar a instituição de ensino mostra diversos sinais que apontam para a sua saída. O grande erro dos gestores é ignorá-los e tratá-los com indiferença.

Evitar a evasão escolar é possível, mas, para isso, o gestor precisa estar sempre de sobreaviso para fazer esse acompanhamento dos alunos e agir antes que seja tarde.

O segredo do sucesso é ter tempo hábil para a ação, ou seja, identificar o possível estudante evasor com antecedência, traçar um plano para a sua permanência e estabelecer a comunicação com o aluno e seus familiares antes que eles decidam pelo abandono da matrícula. 

A boa notícia é que a tecnologia pode ser usada para isso, te ajudando a manter as taxas de evasão escolar em níveis bem mais baixos centralizando todas as informações dos alunos e apoiando no monitoramento deles.

Portanto, preparamos este artigo para mostrar quais indicadores apontam à saída iminente do aluno da instituição e, também, para apresentar algumas práticas de abordagem para impedir que isso aconteça.

Quais as causas da evasão escolar?
Qual é o perfil de um aluno evasor?
Indicadores que apontam a possível evasão
O que fazer para evitar a evasão escolar?

Quais as causas da evasão escolar?

Caracteriza-se como evasão escolar o fato de um estudante devidamente matriculado em uma instituição de ensino, pública ou privada, deixar de frequentar a escola.

Como diminuir a evasão escolar? Essa pergunta passa pela cabeça do gestor algumas vezes durante o dia. Isso acontece porque o problema é tão sério, a ponto de comprometer toda a saúde financeira da instituição educacional.

Mas, para começar a lidar com ele, é preciso entender primeiro a origem da evasão escolar. Afinal, várias situações podem levar a essa consequência.

Algumas estão dentro do escopo da administração escolar, como o descontentamento com as dependências da escola ou a queda na qualidade de ensino da instituição. 

Nesse caso, é necessário promover os melhoramentos que são requeridos, pois o descontentamento de um pode ser o mesmo de outros. 

Em contrapartida, outras situações fogem do controle interno, como o desemprego do responsável pelo aluno ou um problema de saúde, por exemplo.

O simples aumento no valor da taxa de matrícula e das mensalidades já é gatilho para que alguns pais e responsáveis sinalizem a retirada do aluno da escola.

No entanto, entre todos os motivos para a evasão escolar, a desmotivação do aluno é o maior deles. 

Quando o aluno mostra desinteresse durante as aulas, é sinal que é hora de entrar com planos de intervenção antes que ele decida abandonar a instituição.

Desse modo, o gestor precisa estar sempre preparado para a ação. Ao menor sinal de perigo, é hora de colocar a mão na massa e trabalhar para impedir que o aluno abandone a escola.

Saiba mais: Como motivar os alunos na volta às aulas.

A melhor estratégia para evitar a evasão é fazer com que toda a equipe escolar, desde os professores até os profissionais de limpeza, trabalhe em prol de um grande objetivo: fazer com que o aluno tenha a melhor experiência possível dentro da escola.

É preciso manter em mente que tão importante quanto captar novos alunos é manter aqueles já matriculados em situação ativa e atuante. 

Sendo assim, a postura do diretor diante da questão da evasão deve ser preventiva e isso só acontece por meio da experiência positiva do aluno.

Dessa forma, o gestor deve adotar uma conduta que tenha como objetivo captar novos alunos e trabalhar para que eles continuem matriculados na escola até finalizarem seus estudos.

Qual é o perfil de um aluno evasor?

Lembre-se de que o aluno deixa vestígios quando pretende abandonar a escola. O gestor desatento pode não notar esses sinais, mas eles são claros e podem ser facilmente identificados, principalmente se você contar com o apoio tecnológico de uma ferramenta como o Controle de Retenção Sponte.

Para identificar esses alunos, o primeiro passo é analisar seus comportamentos na escola e quais são os comentários dos professores em relação a eles nas reuniões periódicas de desempenho e entrega de resultados. 

O aluno evasor possui o seguinte perfil:
  • Falta constantemente.
  • Tem uma postura desinteressada na sala de aula.
  • Demonstra baixa ou nenhuma participação nas atividades desenvolvidas em sala.
  • Apresenta desempenho do processo de aprendizagem abaixo do esperado.
  • Tem mensalidades em atraso.

Quando esse perfil é identificado, é hora de agir. O diretor deve conversar com os pais e responsáveis a fim de entender o que está acontecendo e motivar o aluno a mudar esse comportamento. Se a intenção for mesmo a retirada do aluno, já se pode iniciar o processo de negociação.

Ainda, outros sinais podem apontar para a saída do aluno, como a mudança para um endereço longe da escola, a solicitação de um histórico escolar ou mesmo uma avaliação neutra ou ruim nas frequentes pesquisas de satisfação.

Está vendo como há muitos indícios que sinalizam a saída de um aluno? Basta saber onde procurar. Tudo isso pode ser facilmente identificado com a ajuda do sistema de gestão escolar Sponte, que centraliza as informações do estudante e facilita o monitoramento de sua permanência na escola.

Indicadores que apontam a possível evasão

Indicadores que apontam a possível evasão

É nesse ponto que a tecnologia entra em ação para deixar a vida do gestor mais simples. Todas as ações dos alunos desistentes podem ser transformadas em números. Dessa forma, sua identificação é mais rápida e certeira.

Gestor, se você quer manter os índices de evasão e abandono escolar baixos, fique atento aos seguintes indicadores:
  • Índice de frequência do aluno.
  • Nota média.
  • Taxa de inadimplência.
  • Histórico de atestados e ocorrências.
  • Feedback dos professores.
  • Presença em eventos que a escola organiza.
  • Índice de evasão e desistência escolar.
  • Índice de aprovação ou reprovação.

Esses indicadores precisam de um acompanhamento frequente. Ao notar, no seu sistema de gestão, que o índice de frequência de determinado aluno está baixo e que seu rendimento caiu, medidas devem ser adotadas imediatamente.

Índices financeiros, como a taxa de inadimplência, também são importantes para identificar um possível aluno desistente. Nesse caso, a presença dos pais e responsáveis deve ser solicitada imediatamente.  

Nessa situação, o gestor deve manter uma postura aberta ao diálogo e mostrar que está disposto a negociar.

Ofereça meios que permitam que o aluno continue estudando na escola normalmente enquanto as mensalidades são colocadas em dia.

O que fazer para evitar a evasão escolar?

Respondendo a essa pergunta de maneira direta, a melhor maneira de contornar essa grave questão é agir de forma preventiva. Isto é, analisar os dados dos alunos por meio de um sistema de gestão, identificar estudantes que apresentem indícios de evasão e traçar um plano de ação que envolve negociação e motivação.

Em uma escala de gravidade decrescente, os seguintes indicadores podem mostrar uma possível evasão: inadimplência, frequência, desempenho escolar, resultados de pesquisas de satisfação e comportamento.

Quando o aluno se enquadra em dois ou mais critérios, a situação é ainda mais urgente e requer uma rápida tomada de atitudes.

Um software de gestão, como o sistema educacional Sponte, ao oferecer uma visão panorâmica e completa dos alunos, permite que o gestor tenha tempo de contornar e evitar a evasão.

Outra estratégia é ouvir o aluno, seus pais e responsáveis, e atender às suas demandas. Às vezes, um pequeno desentendimento é esclarecido se houver diálogo.

Além disso, aplicar as melhorias sugeridas pelos próprios alunos e responsáveis é uma boa maneira para a escola se desenvolver.

Há algumas ocasiões, contudo, em que a retenção do aluno é impossível. Nesses casos, é essencial ouvir o estudante e considerar as razões para a sua saída como formas de melhorar a escola e evitar novas evasões.

Aprender com os erros é parte do processo de gestão. Então, entreviste o aluno e seus responsáveis com perguntas do tipo:
  • Qual é o motivo concreto do cancelamento da matrícula?
  • Você mostrou algum sinal de desistência?
  • Onde você vai estudar agora?
  • Por que você escolheu essa instituição?
  • O que poderia ter sido feito para evitar a sua saída?

A partir daí, o gestor tem informações concretas sobre os aspectos que devem ser melhorados no ambiente escolar para evitar a saída de outros alunos. 

Sempre tenha em mente que a evasão deve ser encarada de forma preventiva. Nunca deixe a situação atingir um ponto incontornável.

Leia mais: Estratégias para diminuir a evasão de alunos

Captar novos alunos e mantê-los na instituição até o fim dos seus ciclos educacionais é essencial para que a receita seja sempre recorrente e, consequentemente, as finanças da escola estejam em níveis saudáveis.

É um trabalho desafiador, mas recompensador ao mesmo tempo, pois você está ajudando a manter as crianças e os adolescentes dentro das escolas e garantindo uma educação de qualidade para o seu público.

Saiba mais sobre o potencial da tecnologia na retenção de alunos! Acesse nosso eBook:

compartilhe:

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on google
Gerente de Produto

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *