A língua portuguesa é repleta de detalhes. Fique atento a estes.

saiba mais sobre a língua portuguesa e conheça alguns dos detalhes que podem te ajudar bastante no seu dia a dia em sua instituição de ensino.

Por Sponte em 27 de maio de 2015.

Algumas regrinhas gramaticais podem confundir as pessoas tanto na hora de falar como na hora de escrever. Dominar a língua portuguesa, no entanto, é fundamental até mesmo para quem não é redator profissional. Em tempos de mídias sociais, alguns desrespeitam concordâncias e tempos verbais, mas até mesmo em um simples e-mail, um deslize no texto compromete a mensagem.

Confira alguns exemplos:

Seja isso ou aquilo.

Sempre que utilizar “seja” para usar algo como exemplo, parece banal, mas o correto é duplicar o termo.

Exemplo correto: Seja uma vez por semana, seja todos os dias, é necessário treinar a língua portuguesa.

Exemplo incorreto: Seja uma vez por semana ou todos os dias, é necessário treinar a língua portuguesa.

Cuidado com a utilização do “onde”.

Esse pronome expressa a noção de lugar. Quando não acontecer isso, utilize “em que” ou “no qual”.

Exemplo correto: O conteúdo acompanha um novo comportamento, no qual as empresas devem se basear.

Exemplo incorreto: O conteúdo acompanha um novo comportamento, onde as empresas devem se basear.

“Tu” e “você”.

Não misture esses dois pronomes. Ao usar o “você”, evite as formas “te”, “teu” e demais variações do “tu”.

Exemplo correto: Preparamos esse conteúdo para tirar suas dúvidas e ajudar você.

Exemplo incorreto: Preparamos esse conteúdo para tirar suas dúvidas e te ajudar.

“Vir de encontro a” e “ir ao encontro de”.

Apesar de parecidos, seus significados são diferentes. Um é utilizado para concordância e o outro, discordância.

Exemplo de concordância: Os interesses profissionais de um programador vão ao encontro do cliente que encomenda um site.

Exemplo de discordância: A programação realizada pelo profissional foi de encontro à proposta da pauta.

 

Gostou? Deixe seu comentário.

Sponte /