Por Carla Helena Lange, 20 de fevereiro de 2024
Tempo de leitura: 4 minutos

Uso do celular em sala de aula: o que fazer?

Saiba quais são as vantagens e desvantagens do uso do celular na sala de aula frente às recentes restrições de utilização desse dispositivo nas escolas.

Celular em sala de aula | Sponte

Cada vez mais a tecnologia está presente no dia a dia das pessoas e na escola não é diferente. Nesse contexto, o uso do celular em sala de aula é uma questão debatida há vários anos e que vem sendo muito discutida nos últimos tempos.

Mas afinal, o uso do celular na escola é benéfico ou prejudicial para os alunos? Ele pode realmente ser um aliado do ensino ou é o vilão de toda a história?

Confira sobre esse assunto em nosso texto a seguir:

Pode usar o celular dentro da sala de aula?

A resposta é sim e não. 

No Brasil, várias escolas públicas e particulares vêm restringindo total ou parcialmente o uso do celular em sala de aula e até mesmo durante os intervalos, seguindo uma tendência que já foi aplicada em diversos países, como Canadá e Estados Unidos.

Desde agosto de 2023, a prefeitura do Rio de Janeiro publicou um decreto que proíbe a utilização dos celulares pelos alunos de escolas municipais dentro da sala de aula. Já em São Paulo, diversas escolas particulares estão adotando medidas para restringir o uso dos aparelhos.

Essas medidas restritivas ficaram mais relevantes após a publicação do Relatório de Monitoramento Global da Educação pela Unesco em 2023. O relatório intitulado “Tecnologia na educação: uma ferramenta a serviço de quem?” divulgava que apenas um a cada quatro países possuía algum tipo de proibição quanto ao uso de telas no contexto escolar até meados de 2023.

Esse estudo da Unesco traz apontamentos sobre a tecnologia na educação com tópicos sobre ensino e aprendizagem, igualdade e inclusão, gestão educacional, professores, segurança e acesso de dados, entre tantos outros. 

Alguns tópicos do documento apontam sobre uma relação negativa entre o uso da tecnologia e o desempenho dos estudantes, o que deixou muitas instituições ao redor do mundo em alerta. 

Então até aqui a resposta é não, não pode usar o celular dentro da sala de aula. Entenda o porquê:

Quais são as consequências negativas de usar o celular em sala de aula?

Nos últimos anos, principalmente após a pandemia, muitas escolas viram crianças e jovens aumentarem o tempo de uso de dispositivos móveis dentro das instituições, o que pode ter chegado a um limite insustentável.

É com base nisso que muitos centros de ensino e estados estão à procura de uma solução e a mais imediata seria proibir o uso do celular na escola.

Uso do celular na escola: desvantagens | Sponte

Dentre as desvantagens estão:

  • Os alunos podem se distrair com notificações e aplicativos
  • Alguns estudantes podem se sentir excluídos por terem acesso limitado a esses aparelhos
  • O celular pode se tornar uma ferramenta para a promoção de cyberbullying
  • Problemas de saúde, como distúrbios do sono, podem se desenvolver com a exposição excessiva às telas

🔎 Leia mais: Como a gestão escolar deve lidar com o cyberbullying

Segundo a Unesco, em seu relatório de monitoramento: 

O tempo prolongado de exposição à tela pode afetar de forma negativa o autocontrole e a estabilidade emocional, aumentando a ansiedade e a depressão. 

Dessa maneira, medidas que restringem o uso dos celulares em sala de aula são válidas, mas destaca-se que essa proibição deve levar em conta a utilização de maneira excessiva desses dispositivos na escola. 

Isso nos leva a resposta que sim, é possível utilizar o celular em sala de aula. Continue sua leitura para entender: 

Quais são os pontos positivos de usar o celular na sala de aula?

Apesar do uso excessivo do celular trazer prejuízos, o uso consciente desse dispositivo oferece muitas vantagens em sala de aula. 

Nesse contexto, é interessante usar os celulares de forma pedagógica, para oferecer uma possibilidade a mais na hora de abordar os conteúdos.

Uso dos celulares em sala de aula: vantagens | Sponte

Algumas vantagens são:

  • Os alunos podem acessar facilmente informações e fazer pesquisas em relação ao que estão estudando
  • Os professores podem utilizar recursos digitais, como jogos e testes online, para promover a interação
  • Há muitos recursos educacionais disponíveis, como aplicativos de matemática e dicionários online
  • Apoio de ferramentas de Inteligência Artificial em tempo real

🔎 Leia também: Inteligência artificial na educação e na rotina pedagógica

Ao considerar as ferramentas digitais disponíveis, também podem ser usados computadores e tablets para as atividades, dependendo do acesso a esses dispositivos.

Além disso, é essencial que as competências da Base Nacional Comum Curricular sejam abordadas no planejamento das aulas, considerando, principalmente, a 5ª competência:

Compreender, utilizar e criar tecnologias digitais de informação e comunicação de forma crítica, significativa, reflexiva e ética nas diversas práticas sociais (incluindo as escolares) para se comunicar, acessar e disseminar informações, produzir conhecimentos, resolver problemas e exercer protagonismo e autoria na vida pessoal e coletiva.

Também é necessário ter em conta alunos que precisam utilizar o celular por causa de situações específicas ou especiais.

Uso do celular na escola: é preciso cuidado sem ter medo da tecnologia

Além de possibilitar atividades digitais, os celulares fazem parte do cotidiano dos estudantes de uma forma ampla, associados com outras ferramentas tecnológicas. 

Os alunos são nativos digitais e convivem diariamente com esses recursos e, como a escola faz parte da vida deles, é importante pensar em como levar a tecnologia para o contexto educacional.

Como o relatório da Unesco aborda, a tecnologia pode, sim, ser uma aliada, desde que a gestão escolar tome ações que possibilitem o seu uso consciente e inclusivo na educação.

Com as recentes discussões e restrições sobre o uso do celular na escola, é válido certificar se sua escola cumpre com o que a lei propõe em sua cidade ou estado e pensar, também, o que melhor se aplica em seu contexto sem prejudicar o aprendizado dos alunos.

Nova call to action

compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Analista de Conteúdo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.