Reforma do ensino médio: conheça os principais pontos

Conheça e entenda a reforma do ensino médio e como isso vai afetar diretamente o ensino em diversas áreas em todos os lugares

Por Sponte em 25 de setembro de 2017.

Aprovada no senado federal e sancionada pelo atual presidente Michel Temer, a reforma do ensino médio vem sendo centro de grandes discussões em todo o país. Criada pelo Ministério da Educação (MEC) e defendida pelo atual ministro da pasta Mendonça Filho, a reforma atingirá escolas públicas e privadas de todo o Brasil.

Nós, da Sponte, reunimos as principais mudanças que foram adotadas junto à reforma. Confira!

Currículo

O currículo, a partir da mudança, será composto em 60% pela Base Nacional Curricular Comum (BNCC), já os outros 40% serão destinados aos chamados Itinerários Formativos, que são definidos basicamente por cinco áreas:

  1. Linguagens e suas tecnologias;
  2. Matemática e suas tecnologias;
  3. Ciências da natureza e suas tecnologias;
  4. Ciências humanas e sociais aplicadas;
  5. Formação técnica e profissional;

A reforma estabelece que logo no início do Ensino Médio os alunos poderão escolher qual área pretendem se aprofundar. Entretanto, não será obrigação da escola oferecer todas as cinco áreas, apenas um dos itinerários deve ter oferecimento obrigatório.

Contratação de docentes

Para o ensino de disciplinas da área técnica poderão ser contratados profissionais sem formação ou diploma específico da área.

Obrigatoriedade de disciplinas

Disciplinas como Geografia e História deixaram de ser obrigatórias. De acordo com a reforma apenas língua portuguesa, matemática e inglês – disciplina até pouco tempo não obrigatória – são as únicas que mantiveram e/ou adquiriram status de obrigatoriedade.

A reforma acarretará na obrigatoriedade do ensino de língua estrangeira, tendo inglês como língua estabelecida à essa obrigatoriedade. Escolas que desejam oferecer outra(s) língua precisam já dispor do inglês, dando preferência para o espanhol como segunda língua estrangeira.

Carga horária

Atualmente o ensino médio conta com uma carga horária de 800 horas, tendo que, a partir dos próximos cinco anos (período de adaptação das escolas), oferecer uma carga de 1000 horas. O objetivo final da reforma é que após esses cinco anos as escolas contem com uma carga total de 1,4 mil horas anuais em relação ao ensino médio.

O objetivo da iniciativa é ampliar o número de escolas integrais. O Plano Nacional de Educação prevê que até 2024, 50% das escolas de todo o país serão de tempo integral.

Ensino técnico

Atualmente o estudante que almeja ter sua formação técnica de nível médio precisa cumprir as duas cargas horárias de ambas as modalidades: 2,4 mil horas para o ensino médio e 1,2 mil horas para o Ensino Técnico. Com a implementação da reforma o estudante poderá adquirir as duas formações apenas com a carga total de horas do ensino médio, as 2,4 mil horas.

Quando a reforma estará valendo?

O Ministério da Educação não está certo sobre as datas exatas, e nem especificaram até quando todas as escolas já devem estar adequadas aos novos moldes, contudo contam com a parceria e o incentivo dos estados para que as escolas em seu controle (maioria das escolas públicas de ensino médio são geridas pelos governos estaduais) comecem a implementar as modificações o quanto antes.

Muitas coisas mudaram, e nós, da Sponte, já estamos atentos às novidades. O que achou da reforma? Conte-nos através de nossas mídias sociais. Sua opinião e de sua escola é importante para nós!

Conte sempre com o Sponte, o seu software de gestão educacional!

Sponte /