Programação na grade curricular. Vale a pena investir?

Na era tecnológica em que vivemos, o uso de equipamentos eletrônicos (como smartphones, tablets, computadores e videogames) se dá o tempo todo e já se tornou parte essencial da nossa rotina. Nesse panorama, ter a matéria de programação na grade curricular se tornou extremamente necessário, pois quanto mais pessoas entenderem as linguagens de programação, maiores serão os avanços tecnológicos desses equipamentos.

Pensando nisso, a Sponte traz neste artigo alguns motivos para que você invista no ensino de programação na sua instituição. Acompanhe a leitura e confira!

1. Incentiva a dedicação e agrega conhecimento em outras disciplinas

Como foi dito anteriormente, os equipamentos eletrônicos se tornaram parte essencial da nossa rotina, mas não só na rotina dos adultos. Muitas crianças e jovens já têm seu próprio celular, tablet e computador, e se sentem instigados a aprender mais sobre suas máquinas e a como melhorá-las.

Além disso, entender a linguagem de programação requer um conhecimento prévio em outras matérias – como matemática e física. Dessa forma, a escola pode usar esta motivação com a matéria de programação para incentivar os alunos a se dedicarem à outras disciplinas do currículo escolar.

2. A criança aprende brincando

Nos primeiros anos escolares, a melhor forma de ensinar crianças é através de atividades lúdicas. Via de regra, é nessa época que as crianças estão totalmente abertas a aprenderem coisas novas sem medo de errar. Por isso, é o melhor momento para começar a ensinar as noções básicas de programação.

Como incentivo a esse ensino, muitas empresas de tecnologia investiram em criar diversos programas simples de serem manuseados, mas que são ótimas ferramentas lúdicas para começar a aprender sobre a linguagem de programação. Algumas deles, como Codecademy, Code Monster e Scratch, contam com interfaces atraentes para que as crianças aprendam os conceitos fundamentais de programação por meio de histórias, jogos e interação.

Utilizar dessas ferramentas e outras brincadeiras que incentivem o raciocínio lógico é uma maneira perfeita de introduzir a matéria de programação na sua escola, sem assustar os alunos e a equipe pedagógica.

3. É uma demanda dos pais e uma necessidade mercadológica

O ensino da linguagem de programação já é uma realidade da grade curricular de todas as escolas dos Estados Unidos e de alguns países da Europa. Além disso, muitas escolas no Brasil já estão incluindo em seu currículo escolar essa disciplina.

Os pais, que estão antenados nas tendências mundiais, passaram a procurar por escolas que possuem o ensino de programação em seu currículo. Adaptando sua escola para atender essa demanda, você cria um diferencial em relação às escolas que não oferecem essa matéria e aumenta a quantidade de pais que buscarão sua instituição para matricular seus filhos.

Além disso, os equipamentos tecnológicos estão em constante crescimento e desenvolvimento, fazendo-se necessário um maior número de pessoas que saibam programar. Portanto, o ensino de programação nas escolas também é uma necessidade mercadológica emergente.

A inclusão da disciplina de programação na sua grade curricular é possível e, além disso, extremamente vantajosa para a escola. Conte-nos sua experiência com o assunto!

Quer inserir o ensino de programação na sua instituição? Já tem a disciplina no seu currículo? Contate-nos através dos nossos canais de comunicação e compartilhe com a gente sua história!

A Sponte está antenada em todas as novidades da área escolar para que a sua instituição esteja em constante crescimento. Conte sempre com a gente!

Sponte /